Das pedras ao triunfo: os missionários redentoristas alemães no Brasil entre a Primeira Guerra Mundial e a Gripe Espanhola (1914-1918)

  • Robson Rodrigues Gomes Filho Universidade Estadual de Goiás / Universidade Federal Fluminense
  • Lorrany Maiara Aparecida Silva Universidade Estadual de Goiás

Resumo

Resumo: A despeito do amplo prestígio alcançado ao longo de 30 anos de missão no Brasil, a partir de 1914, com o início da Primeira Guerra Mundial, a atuação da Congregação Redentorista alemã no país ficou estremecida. De conflitos na imprensa a apedrejamento ao convento paulista, os redentoristas passaram a ser alvos, até meados de 1918, de ataques do eufórico nacionalismo brasileiro em ascensão, necessitando, em muitos casos, até mesmo de proteção policial. Todavia, no mesmo ano de 1918 outro evento catastrófico internacional parece ter favorecido uma reascenção do prestígio dos padres alemães: a pandemia da Gripe Espanhola. Atuando em São Paulo e Goiás como braço-direito do Estado, os missionários redentoristas fizeram-se notar por um incansável trabalho na assistência aos doentes, mudando em muito o cenário que experienciavam poucos anos antes. Diante disso, a pretensão do presente artigo é discutir esta mudança no prestígio social e religioso dos missionários redentoristas alemães no Brasil entre o final da Primeira Guerra Mundial e o surto pandêmico de gripe espanhola no Brasil, valendo-nos, para isso, das cartas pessoais, crônicas e demais registros da Congregação.

Palavras-chave: Redentoristas. Gripe Espanhola. Primeira Guerra Mundial.

 

Biografia do Autor

Robson Rodrigues Gomes Filho, Universidade Estadual de Goiás / Universidade Federal Fluminense
Graduado em História pela Universidade Estadual de Goiás; especialista em Docência no Ensino Superior pela Faculdade Padrão; Mestre em História pela Universidade Ferderal de Ouro Preto e doutorando em História pela Universidade Federal Fluminense. Atualmente é professor efetivo do curso de história da Universidade Estadual de Goiás (UnU-Morrinhos), ministrando as disciplinas de Teoria da história e Metodologia da Pesquisa Histórica. Tem pesquisado e publicado nas áreas de História das Religiões, Sociologia da Religião, Fenomenologia da Religião, História de Goiás e Teoria da História.
Lorrany Maiara Aparecida Silva, Universidade Estadual de Goiás
Estudante de graduação em História da Universidade Estadual de Goiás, Campus Morrinhos.
Publicado
2016-07-01
Como Citar
Gomes Filho, R., & Silva, L. (2016). Das pedras ao triunfo: os missionários redentoristas alemães no Brasil entre a Primeira Guerra Mundial e a Gripe Espanhola (1914-1918). Revista De História Da UEG, 5(1), 55-73. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/4712
Seção
Artigos (Tema Livre)