“Salve os santos negros: Nossa Senhora do Rosário, salve São Benedito” – festas na Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos em Desterro/SC – 1860 a 1890

  • Karla Leandro Rascke Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP

Resumo

No presente trabalho, pretendemos apresentar a cidade de Desterro (Santa Catarina) do século XIX, suas ruas, comércios, relações de trabalho, condições de moradia e perceber a vida quotidiana de africanos(as) e afrodescendentes, focando a atenção para a Irmandade dos pretos do Rosário, a fim de entender sua estrutura de funcionamento, as atribuições da Mesa Administrativa, o comprometimento de Irmãos e Irmãs, as decisões tanto “na esfera do temporal quanto do espiritual”.Na tentativa de encontrar resquícios do passado que permita conhecer aspectos culturais destes sujeitos históricos, o foco deste estudo serão as festas e procissões. Permeadas de muito preparo, adornos, rituais e procissões ao santo ou à santa de devoção, as festividades eram celebradas anualmente pelos membros associados, que realizavam ao menos uma missa rezada, quando seus cofres não permitiam a pompa almejada.

Biografia do Autor

Karla Leandro Rascke, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP

Mestranda em História Social pela PUC/SP sob a orientação da profa. Dra. Maria Antonieta Martines Antonacci, bolsista do CNPq, pesquisadora associada ao NEAB/UDESC e ao Instituto de Estudos Culturais Luiza Mahin. Graduada em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Publicado
2013-02-26
Como Citar
Rascke, K. (2013). “Salve os santos negros: Nossa Senhora do Rosário, salve São Benedito” – festas na Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos em Desterro/SC – 1860 a 1890. Revista De História Da UEG, 1(2), 121-151. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/1074
Seção
Artigos (Tema Livre)