O que te incomoda? Cartografando a nudez na aula de desenho de modelo vivo

  • Lúcia Gonçalves de Freitas Universidade Estadual de Goiás (UEG)
  • Gabriela Beatriz Ferraz de Moura Universidade Estadual de Goiás (UEG)

Resumo

Neste texto, relatamos os primeiros passos de uma pesquisa-intervenção guiada pelo método da cartografia (BARROS; PASSOS, 2009) em que estamos atuando sobre o fazer/pensar o nu no desenho de observação da figura humana, explorando processos criativos relacionados à expressão gráfica e performática do corpo nu em diálogo com diferentes linguagens, como produção de texto, captação de áudio, fotografia, entre outras. A “cartografia da nudez” está sendo conduzida no curso de Design de Moda da UEG-Jaraguá. O percurso aqui apresentado tem como ponto norteador a sensação de incômodo que a nudez (AGAMBEN, 2014) gerou no início da disciplina. Trabalhar nesta perspectiva revelou que a instabilidade proporciona movimentos interessantes, fora da zona de conforto.

Biografia do Autor

Lúcia Gonçalves de Freitas, Universidade Estadual de Goiás (UEG)

Doutorada em Linguística pela Universidade de Brasília (UnB). Atualmente, é professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar Educação, Linguagem e Tecnologia (PPG-IELT); Coordenadora de Pesquisa do Câmpus Jaraguá da UEG. Atua na área de Linguística, com ênfase em Análise de Discurso, Semiótica Social, Gênero e Feminismos. CV: http://lattes.cnpq.br/6936306486720882. E-mail: luciadefreitas@hotmail.com.

Gabriela Beatriz Ferraz de Moura, Universidade Estadual de Goiás (UEG)

Mestranda Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar Educação, Linguagem e Tecnologia (PPG-IELT); docente no curso de Design de Modas, da Universidade Estadual de Goiás (UEG), Câmpus Jaraguá. CV: http://lattes.cnpq.br/8366185541783410. E-mail: bibi_ferraz_@hotmail.com.

Publicado
2018-11-30
Seção
Linguística