Caminhos Identitários: contribuições de Kabengele Munanga na construção da identidade negra positiva

  • Quecia Silva Damascena
  • Eduardo Oliveira Miranda UFBA

Resumo

Resumo: O presente artigo parte de inquietações postuladas a partir das leituras das obras do professor Kabengele Munanga, do qual destacamos as produções literárias: Negritude: usos e sentidos (1986), Superando o racismo na escola (2005), Uma Abordagem Conceitual das Noções de Raça, Racismo, Identidade e Etnia (2004). Tais reflexões ressignificaram a construção das nossas identidades docentes, o que tem rebatimento intenso na forma que visualizamos as possibilidades culturais dispostas no chão da escola. Nesse movimento, recorremos ao teórico Tomaz Tadeu da Silva (2000) para elucidar de que forma se entrelaçam as categorias Identidade e Diferença. Ambas pautadas nas intencionalidades da classe hegemônica. Além disso, convidamos para o diálogo Nilma Lino Gomes (2003) para compreender ainda mais as questões de identidade e questões raciais. No campo do poder simbólico, acessamos as produções de Bourdieu (1989). Enfim, traçamos veios teóricos com a prerrogativa de articular posturas favoráveis a Lei Federal 10.639/03.

Palavras-chave: Educação. Racismo. Identidade. Diferença. Poder Simbólico.

Publicado
2018-09-04
Como Citar
Damascena, Q., & Miranda, E. (2018). Caminhos Identitários: contribuições de Kabengele Munanga na construção da identidade negra positiva. Revista De História Da UEG, 7(1), 145-155. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/7329