A utopia pós-racial nos Estados Unidos: reestruturação do racismo e a ascensão de Barack Obama na era do colorblindness

  • Flavio Thales Ribeiro Francisco Universidade de São Paulo

Resumo

Resumo: o objetivo deste artigo é o de analisar, através de uma perspectiva histórica, a era pós-direitos civis nos Estados Unidos, demonstrando a reestruturação do racismo norte-americano e a crença em uma sociedade pós-racial a partir de 1980.  Enquanto o encarceramento em massa e o desmonte do welfare state afetava desproporcionalmente os afro-americanos, o conceito de colorblindness ganhava ampla circulação entre os norte-americanos. Entretanto, o governo do Presidente Barack Obama, ao invés de decretar o fim da importância da raça nas relações sociais, foi marcado pela violência policial e a ascensão de novos grupos ativistas como o Black Lives Matter.

Palavras-chave: Novo Racismo. Pós-Direitos Civis. Pós-Racial. Presidente Negro.

Biografia do Autor

Flavio Thales Ribeiro Francisco, Universidade de São Paulo
Doutor (2014) pelo Programa de História Social da Universidade de São Paulo. Possui mestrado (2010) e graduação (2006) em História pela mesma instituição. Tem experiência na área de História, com ênfase em História da América, atuando principalmente nos seguintes temas: História dos Estados Unidos, Identidades, manifestações político-culturais transnacionais, Diáspora africana, Imprensa. É membro do LEHA (Laboratório de Estudos de História das Américas) e integrante do Grupo de Estudos de História dos Estados Unidos e Relações Interamericanas.
Publicado
2017-07-13
Como Citar
Francisco, F. T. (2017). A utopia pós-racial nos Estados Unidos: reestruturação do racismo e a ascensão de Barack Obama na era do colorblindness. Revista De História Da UEG, 6(1), 1-23. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/5272
Seção
Artigos Livres