Uma Confederação Luso-brasileira: entre o eloquente e o polêmico (1902-1922)

  • Luciana Lilian de Miranda PPGH da Universidade Federal de Goiás (UFG)

Resumo

Resumo: Nesse artigo buscamos recuperar e problematizar as representações em torno da ideia de uma Confederação entre Portugal e Brasil, expressa em elaborações e prospostas de escritores brasileiros e portugueses, nos anos de 1902 a 1922. Apesar das inflamadas defesas acerca das vantagens políticas, econômicas e culturais de tal proposição, a questão despertou muita polêmica ao propor uma união política entre os dois países. O grupo de intelectuais vinculados à campanha nativista do período questionou a autonomia e a liberdade de cada país, tendo em vista uma proposta em que se considerava um governo superior comum ao Brasil e à Portugal. Esses setores mais radicais do nacionalismo brasileiro viam na ideia confederativa uma tentativa de recolonização por parte de Portugal.

Palavras-Chave: Confederação luso-brasileira. Intelectuais. Revistas.

Biografia do Autor

Luciana Lilian de Miranda, PPGH da Universidade Federal de Goiás (UFG)
Doutora em História Contemporânea pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa (UNL, 2014). Pós-Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Goiás, Goiânia.
Publicado
2016-12-15
Como Citar
Miranda, L. (2016). Uma Confederação Luso-brasileira: entre o eloquente e o polêmico (1902-1922). Revista De História Da UEG, 5(2), 1-20. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/4982
Seção
Artigos (Tema Livre)