O contraponto do desenvolvimento: a construção da Hidrelétrica de Estreito (MA/TO – Brasil) e seus impactos (2004-2005)

  • Cícero Pereira da Silva Júnior Universidade Federal do Pará - UFPA

Resumo

Resumo: O presente trabalho tem como objetivo analisar a conjuntura que antecedeu a construção da usina hidrelétrica de Estreito (MA/TO) entre 2004 e 2005 a partir da memória dos impactados em confronto com as reportagens sobre a barragem veiculadas por dois jornais que circulam na região sudoeste do Maranhão: O Progresso, de Imperatriz (MA) e o Jornal Momento, de Estreito (MA). Para tanto, optou-se pela História Oral como recurso metodológico baseado na concepção de memória como uma ação individual construída socialmente. Essa apreensão da memória sustenta-se na articulação das reflexões de Paul Ricoeur (2007) e Walter Benjamin (1994).

Palavras-chaves: Hidrelétrica de Estreito. Memória. Impactos Sociais. Jornais.

Biografia do Autor

Cícero Pereira da Silva Júnior, Universidade Federal do Pará - UFPA

Doutorando em História Social da Amazônia pela Universidade Federal do Pará (UFPA).

Publicado
2016-12-15
Como Citar
Silva Júnior, C. (2016). O contraponto do desenvolvimento: a construção da Hidrelétrica de Estreito (MA/TO – Brasil) e seus impactos (2004-2005). Revista De História Da UEG, 5(2), 352-369. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/4954
Seção
Artigos (Tema Livre)