Partidarismo, objetividade e abusos na escrita da história: um olhar em perspectiva

  • Danilo Linard Universidade Federal do Ceará (UFC)

Resumo

Resumo: Procuramos colocar em perspectiva algumas reflexões feitas sobre o papel e o peso da subjetividade no conhecimento científico e acadêmico, sobretudo, na escrita e na narrativa produzida pelo historiador. Ainda que a utopia da imparcialidade da ciência e do cientista, perseguida em fins do século XIX, tenha sido superada, acredita-se que deve haver algum grau de objetividade nas práticas científicas e acadêmicas. Contudo, mesmo que a presença da subjetividade seja incontornável, mas também salutar, ela pode implicar em interpretações unilaterais e abusivas. Em face disso, dialogamos com dois historiadores: Jörn Rüsen (2010) e Antoon De Baets (2013), que se propuseram a refletir, cada qual à sua maneira, acerca dessa problemática. Aqui, colocando esses autores em paralelo, apresentamos alguns de seus pressupostos e tentamos estabelecer pontos de reflexão.

Palavras-chave: Partidarismo. Objetividade. Abuso da História. Subjetividade.

Biografia do Autor

Danilo Linard, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Doutorando em História pela Universidade Federal do Ceará (UFC)
Meste em História pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Publicado
2016-12-15
Como Citar
Linard, D. (2016). Partidarismo, objetividade e abusos na escrita da história: um olhar em perspectiva. Revista De História Da UEG, 5(2), 262-281. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/4936
Seção
Artigos (Tema Livre)