Velhos mitos no cinema contemporâneo: a África visita o cinema ocidental

  • Marcos Paulo Amorim dos Santos Programa de Pós-graduação em História. Escola de Filosofia, letras e ciências humanas da Universidade Federal de São Paulo.

Resumo

Resumo: Este artigo pretende problematizar os usos e sentidos de uma ideia de África nos filmes “Beasts of no Nation” e “Diamante de Sangue”. Nosso argumento reside em observar como essas duas produções – produzidas por grandes conglomerados cinematográficos estadunidenses – podem servir igualmente como propulsoras de imagens e estereótipos sobre o Continente africano.

Palavras-chave: Cinema. História da África. Colonialismo. Neocolonialismo.

Biografia do Autor

Marcos Paulo Amorim dos Santos, Programa de Pós-graduação em História. Escola de Filosofia, letras e ciências humanas da Universidade Federal de São Paulo.
Cursando pós-graduação Strictu-Sensu em História pela Universidade Federal de São Paulo. Pós-graduação Lato-Sensu em Estudos Brasileiros: sociedade e cultura pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (2014). Graduado em História (2011). Atualmente, é tutor presencial em pós-graduação em Gênero e Diversidade na Escola oferecida pela Universidade Federal de São Paulo. Interessa-se por temas ligados aos estudos africanos, afro-brasileiros, história de São Paulo e do Brasil república.
Publicado
2016-12-15
Como Citar
Santos, M. P. (2016). Velhos mitos no cinema contemporâneo: a África visita o cinema ocidental. Revista De História Da UEG, 5(2), 219-232. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/4887
Seção
Artigos (Tema Livre)