Prestígio e poder: estratégias matrimoniais na Florença do Quattrocento

  • Maria Veronica Perez Fallabrino Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Resumo

Resumo: O presente artigo[1] tem como objetivo estudar as estratégias matrimoniais da alta sociedade florentina do Quattrocento (século XV) considerando-as como elemento fundamental na construção de vínculos sociais, políticos e econômicos que buscavam reforçar o prestígio e o poder das famílias na vida pública. Nessa perspectiva, analisaremos tratados humanistas, cartas e diários pessoais da época (chamados Ricordi), para nos aproximar não só dos valores da alta sociedade florentina, mas dos casos subjetivos e suas próprias particularidades.

Palavras-chave: Matrimônio. Poder. Sociedade mercantil. Florença. Quattrocento.


[1] O presente artigo é resultado da pesquisa de Mestrado em História Social cursado na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), patrocinada pelo CNPq.

 

Biografia do Autor

Maria Veronica Perez Fallabrino, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Doutoranda em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Bolsista CAPES. Possuo graduação em História pela Universidade Tuiutí do Paraná (2007), Especialização em História e crítica de arte pela University of Wisconsin Milwaukee (2009), Especialização em História Social da Arte pela Pontifícia Universidade Católica de Paraná (2011) e Mestrado em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2015).

 

Publicado
2016-07-05
Como Citar
Fallabrino, M. (2016). Prestígio e poder: estratégias matrimoniais na Florença do Quattrocento. Revista De História Da UEG, 5(1), 247-268. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/4851
Seção
Artigos (Tema Livre)