Algumas considerações sobre o sanitarismo no meio rural paulista no início do século XX

  • Mario Roberto Ferraro Docente da Universidade Estadual de Goiás, na Unidade Universitária de Ciências Sócio-econômicas e Humanas (UnUCSEH)

Resumo

Resumo: O objetivo deste artigo é apresentar e discutir algumas medidas higienistas implantadas no meio rural paulistano no início do século XX, com ênfase no controvertido papel do eucalipto no combate às doenças tropicais. No início do processo de modernização da agricultura paulista, no governo Jorge Tibiriçá, em 1906, o higienismo começou a ganhar espaço, enquanto política pública, também no meio rural. Algumas dessas medidas serão analisadas neste artigo: a plantação de arroz no Vale do Paraíba; a produção e publicação pela Escola Agrícola de Piracicaba do Abc do Agricultor e o discurso sobre a importância de se plantar eucalipto para a saúde humana. As fontes consultadas foram a Revista Agrícola, editada pela SPA – Sociedade Paulista de Agricultura - veículo de divulgação da agricultura moderna desde sua fundação, em 1896, Boletim da Agricultura, publicação da Secretaria da Indústria e Comércio do Estado de São Paulo e O Fazendeiro, também publicada pela SPA, após o encerramento da Revista Agrícola, em 1911.

Palavras-chave: Higienismo no campo; agricultura moderna; destruição ambiental.

Biografia do Autor

Mario Roberto Ferraro, Docente da Universidade Estadual de Goiás, na Unidade Universitária de Ciências Sócio-econômicas e Humanas (UnUCSEH)

Doutor em Ciências pelo Programa  Ensino e História das Ciências da Terra.

 

Publicado
2014-09-03
Como Citar
Ferraro, M. (2014). Algumas considerações sobre o sanitarismo no meio rural paulista no início do século XX. Revista De História Da UEG, 3(1), 117-130. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/2115
Seção
Artigos (Tema Livre)