Bastiões espanhóis no Marrocos: pequenos, estratégicos e disputados

  • Maurício Waldman Universidade de São Paulo São Paulo – São Paulo – Brasil

Resumo

As formações insulares constituem desde os albores da história humana, espaços com destacada função econômica, estratégica e militar. Essa ponderação também é verdadeira para o continente africano. Alternadamente, muitos poderes locais e estrangeiros disputaram a posse de ilhas e arquipélagos, que hoje em dia, em boa parte retornaram para soberania local. Uma notável exceção são os enclaves espanhóis situados no litoral do Marrocos. Objeto de disputa territorial entre o governo marroquino e a Espanha, esses pequenos bastiões se destacam pelo seu papel estratégico, daí a reticência do governo espanhol em devolvê-los. Envolvendo uma complexa discussão de ordem geopolítica, a perpetuação desse status quo na região demonstra o quanto o debate está longe de se esgotar, que se reatualiza em conformidade com as contradições que marcam a ordem política internacional. 

Biografia do Autor

Maurício Waldman, Universidade de São Paulo São Paulo – São Paulo – Brasil
Doutor em Geografia pela Universidade deSão Paulo, Pós Doutor em Geociências pela Universidade Estadualde Campinas e colaborador do Centro de Estudos Africanos da USP(CEA-USP).
Como Citar
Waldman, M. (1). Bastiões espanhóis no Marrocos: pequenos, estratégicos e disputados. Revista De História Da UEG, 1(2), 01-10. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/1301
Seção
Artigos (Tema Livre)