Autonomia e autoestima no trabalho cerâmico artesanal: reflexões sobre o cooperativismo feminino no bairro Poti Velho, em Teresina – Piauí (2006-2019)

Autonomy and self-esteem in handmade ceramic work: reflections on women's cooperativism in the Poti Velho neighborhood, in Teresina – Piauí (2006-2019)

  • Amanda Lima da Silva Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Resumo

No presente artigo, fazemos uma análise das experiências de mulheres trabalhadoras ceramistas do Poti Velho, em Teresina – Piauí, com o cooperativismo (2006-2019). Para tanto, usaremos as entrevistas feitas com seis mulheres da Cooperativa de Artesanato do Poti Velho (COOPERART-Poty). Procuramos saber os reflexos do cooperativismo na vida destas mulheres, na formação de suas identidades enquanto trabalhadoras ceramistas e sua contribuição para a renda e autoestima feminina. Percebemos que a COOPERART-Poty possuiu um papel relevante na constituição das identidades femininas como trabalhadoras ceramistas; a produção de peças de argila elevou sua importância econômica em casa; e o trabalho cerâmico na cooperativa contribuiu para o desenvolvimento da autoestima feminina.

Palavras-chave: Trabalho Cerâmico. Cooperativismo. Mulheres.

Biografia do Autor

Amanda Lima da Silva, Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Mestra em História pela Universidade Federal do Maranhão, (UFMA). Pesquisadora no Núcleo de Estudos e Pesquisas em História e Memória da Escravidão e do Pós-Abolição (SANKOFA/UESPI). 

Publicado
2022-04-26
Como Citar
Silva, A. (2022). Autonomia e autoestima no trabalho cerâmico artesanal: reflexões sobre o cooperativismo feminino no bairro Poti Velho, em Teresina – Piauí (2006-2019). Revista De História Da UEG, 11(01), e112214. https://doi.org/10.31668/revistaueg.v11i01.12322