O maragato beduíno: o conceito de gaúcho na escrita de Manoelito de Ornellas

The Bedouin maragato: the concept of gaucho in Manoelito de Ornellas

  • Fabrício Antônio Antunes Soares Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)
  • Pâmela Cristina de Lima Universidade de Passo Fundo (UPF)

Resumo

O presente artigo propõe o estudo do conceito de gaúcho na escrita da história de Manoelito de Ornellas. A obra do autor tomada como objeto é Gaúchos e beduínos (1948). Metodologicamente, optou-se pelas contribuições do historiador alemão Reinhart Koselleck, referência da área da História dos Conceitos. Inicialmente, apresentamos reflexões sobre os conceitos e sobre a teoria deste último intelectual. Em seguida, apresentamos o contexto institucional no qual Ornellas esteve inserido. Depois, demonstramos como o autor concebia o conceito de gaúcho, bem como os reflexos disso em sua escrita da história. Por último, tecemos algumas conclusões.

Palavras-chave: História dos conceitos. Gaúcho. História da historiografia.

Biografia do Autor

Fabrício Antônio Antunes Soares, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

Doutor em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), com estágio doutoral na Universidade Livre de Berlim; membro pesquisador do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul (IHGRGS).

Pâmela Cristina de Lima, Universidade de Passo Fundo (UPF)

Graduanda em História pela Universidade de Passo Fundo (UPF).

Publicado
2021-01-08
Como Citar
Soares, F., & Lima, P. (2021). O maragato beduíno: o conceito de gaúcho na escrita de Manoelito de Ornellas. Revista De História Da UEG, 10(01), e012111. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/10985