O retorno da agenda neoliberal: os “ultraliberais” e o ataque à Justiça do Trabalho

The return of the neoliberal agenda: the “ultraliberals” and the attack on Labor Justice

  • Victor de Oliveira Pinto Coelho Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Resumo

O objetivo do artigo é uma análise da agenda neoliberal que se afirmou entre o contexto do golpe que derrubou a presidente Dilma Rousseff, em 2016, e a chegada ao poder de Jair Bolsonaro. Pretendemos destacar dois pontos, articulados. Primeiro, a configuração de um público (ultra)liberal que participou, via think tanks e internet, da formulação de um discurso que legitimou as chamadas políticas de austeridade. Procuramos apontar que, apesar da autoidentidade desses grupos, reforçada em contraposição aos governos petistas, sua agenda corresponde àquela do neoliberalismo. Segundo, procuramos mostrar que, em meio à onda antipetista, tais discursos procuraram legitimar um ataque à Justiça do Trabalho mediante um discurso que polariza princípios liberais e políticas estatais (ou direitos sociais), valendo-se da atualização do anticomunismo. Procuramos delimitar a pesquisa focando em alguns agentes tais como o Instituto Liberal, o ideólogo Rodrigo Constantino e o jornal Gazeta do Povo, agentes esses que, por outro lado, estão inseridos em uma rede de influências recíprocas. Assim, o termo “ultraliberal” surge como apropriação no jogo de polarizações e contraposições.

Palavras-chave: Ultraliberais. Neoliberalismo. Anticomunismo. Justiça do Trabalho.

Biografia do Autor

Victor de Oliveira Pinto Coelho, Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Doutor em História Social da Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio); docente da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).     

Publicado
2020-08-21
Como Citar
Coelho, V. (2020). O retorno da agenda neoliberal: os “ultraliberais” e o ataque à Justiça do Trabalho. Revista De História Da UEG, 9(2), e922019. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/10496