Gênero e cidadania: limites e possibilidades dos livros didáticos no ensino de história

Gender and citizenship: textbooks’ limits and possibilities for history teaching

  • Renata Cavazzana da Silva Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS)

Resumo

Os livros didáticos são objetos culturais complexos e multifacetados, posto que materializam os aspectos mercadológicos, ideológicos e pedagógicos de sua elaboração. Considerados instrumentos essenciais para o ensino de História, que desempenha um papel fundamental na formação de cidadãs e cidadãos, os livros didáticos mantem uma relação íntima com a construção do conhecimento histórico e, consequentemente, com a edificação da cidadania. Diante do exposto, temos o objetivo de analisar, a partir da teoria feminista e da categoria gênero, os limites e as possibilidades do livro didático de História do 9º ano do Projeto Radix – Raiz do Conhecimento (2013), discutindo especificamente a narrativa sobre a atuação das mulheres e do movimento feminista brasileiro no processo de democratização no país e na elaboração da Constituição Cidadã de 1988 e sobre o conceito de cidadania.

Palavras-chave: Livro didático. Feminismo. Cidadania. Ensino de História.

Biografia do Autor

Renata Cavazzana da Silva, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS)

Graduanda em História pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS); bolsista de Iniciação Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).      

Publicado
2020-08-27
Como Citar
Silva, R. (2020). Gênero e cidadania: limites e possibilidades dos livros didáticos no ensino de história. Revista De História Da UEG, 9(2), e922020. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/10466