“O Ifá no jogo disse que eu não incorporava, que eu nasci mãe”: Trajetória de vida da Ekedji Rosa Barroso, Egbè Asé Yewalê Bemi Ti'Yemonja (Boa Vista/RR)

“The Ifá in the game said that I did not incorporate, that I was born a mother”: Life trajectory of Ekedji Rosa Barroso, Egbè Asé Yewalê Bemi Ti'Yemonja (Boa Vista/RR)

  • Rosa Maria Rodrigues Barroso
  • Monalisa Pavonne Oliveira
  • Tiago Siqueira Reis

Resumo

O presente artigo apresenta e analisa o cargo de ekedji no candomblé de nação ketu, no Egbè Asé Yewalê Bemi Ti'Yemonja, em Boa Vista/Roraima. Nossa premissa é de que as ekedes compreendem uma forma de mirarmos o cuidado por novos ângulos, apresentando o cuidado, tão desvalorizado na nossa sociedade ocidental capitalista, como essencial não somente para os terreiros, mas para a existência humana. Sendo assim, o objetivo é atentar para a diversidade de modos de pensar, viver e de crer fazendo emergir as vivências e os pontos de vista das ekedes. Nessa perspectiva, este trabalho foi desenvolvido por meio de uma parceira de coautoria com a ekedji Rosa Barroso, a partir sua narrativa de vida e experiências no âmbito do candomblé.  Desse modo, o texto divide-se em duas seções: a primeira, traz uma breve revisão da literatura acadêmica alusiva ao cargo de ekede e seus congêneres; na segunda, temos a contribuição de Dona Rosa Barroso articulada às questões levantadas pelos pesquisadores.

Publicado
2023-10-17
Seção
Dossiê "Religiões Afro-Brasileiras e Decolonialidade"