A PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA: UMA ANÁLISE DE SUAS CONTRIBUIÇÕES AO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO

  • Fabrícia Mariano da Silva
  • Andreia Cristina da Silva
Palavras-chave: Psicogênese da Língua Escrita, Alfabetização, Construtivismo.

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar as contribuições da proposta construtivista para o processo de alfabetização. Realizou-se uma pesquisa de cunho bibliográfico a qual possibilitou buscar por mais informações sobre o tema apresentado. A aquisição da leitura e da escrita é o objetivo da escola nos dois primeiros anos do Ensino Fundamental e para alfabetizar os estudantes os professores alfabetizadores utilizam alguns métodos, os quais podem ser agrupados em métodos sintéticos e analíticos. Tais métodos são utilizados com a finalidade de contribuir com o ensino e a aprendizagem de leitura e da escrita, no entanto, esses métodos são considerados tradicionais e pouco eficazes dentro da proposta construtivista. Nesta perspectiva, com a realização desta investigação busca-se obter um conhecimento mais aprofundado a respeito desse processo. O estudo está embasado nos pressupostos teóricos da proposta construtivista defendida por Emília Ferreiro e Ana Teberosky. As autoras apresentam um novo olhar para a alfabetização e evidenciam como cada criança constrói diferentes hipóteses sobre o sistema da escrita antes mesmo de entender o sistema alfabético. A principal contribuição da proposta construtivista é justamente mostrar aos futuros professores alfabetizadores que tanto os métodos analíticos quanto os sintéticos se traduzem em propostas mecânicas e voltadas para a aquisição de técnicas de decodificação e codificação. Além disso, as autoras evidenciam que não é o método que contribui para a alfabetização, segundo elas, a criança constrói o próprio conhecimento sobre a escrita.

Publicado
2020-02-25
Seção
Artigos