MODELO HÍBRIDO DE REABILITAÇÃO CARDIOVASCULAR: RELATO DE CASO

  • Jordana Campos Martins de Oliveira Universidade Federal de Goiás
  • Luiz Fernando Martins de Souza Filho Centro Universitário Estácio de Goiás
  • João Vitor de Souza Armador Universidade Federal de Goiás
  • Jessica Araújo Brito Centro Universitário Estácio de Goiás
  • Andressa Ferreira dos Santos Centro Universitário Estácio de Goiás
  • Mateus Felipe Cotrim Machado Centro Universitário Estácio de Goiás
  • Carini Silva da Silva Universidade Federal de Goiás
  • Ana Cristina Silva Rebelo Universidade Federal de Goiás
Palavras-chave: Fatores de Risco de Doenças Cardíacas, Doenças Cardiovasculares, Reabilitação cardíaca, Exercício Físico

Resumo

Introdução: As doenças cardiovasculares estão entre as principais causas de mortalidade no Brasil, dentre elas a doença arterial coronariana (DAC) principal causa de morbidade e mortalidade no Brasil atingindo principalmente, indivíduos em idade produtiva, gerando grande impacto econômico. Como alternativa para redução dos sintomas e melhora da funcionalidade e qualidade de vida a reabilitação cardiovascular (RC) baseada em exercícios físicos supervisionados e bem prescritos. Objetivo: descrever o resultado de um programa de RC baseada em exercícios físicos de estratégia hibrida com um atendimento semanal presencial supervisionado e cinco dias com prescrição de exercícios físicos não supervisionados em um paciente com DAC. Relato de caso: Paciente MRC 54 anos, do sexo masculino, pardo, pedreiro, histórico de DAC, Infarto agudo do miocárdio, dislipidemia e sedentarismo. À avaliação apresentou dispneia aos mínimos esforços, com limitações importantes nas atividades de vida diária e profissionais. Foi proposto RC baseada em exercícios físicos 6 vezes na semana, sendo 5 vezes não supervisionada e 1 vez supervisionada, com intensidade moderada por 30 minutos, durante 6 meses. Resultados: Após 6 meses o paciente apresentou uma diminuição de 6 mmHg na PAS e aumento da VFC, representando uma melhora da saúde do sistema nervoso autônomo e cardiovascular, aumento de 5,83 ml/kg.min no V ̇O2 máx, indicando melhora da aptidão cardiorrespiratória e melhoras nos escores de depressão e qualidade de vida. Conclusão: A estratégia hibrida de RC com ênfase em exercícios físicos por 6 meses demonstrou ser uma alternativa viável e com bom potencial terapêutico quando executada seguindo as prescrições.

Publicado
2022-10-28
Como Citar
Martins de Oliveira, J., Martins de Souza Filho, L., de Souza Armador, J., Brito, J., dos Santos, A., Cotrim Machado, M., da Silva, C., & Silva Rebelo, A. (2022). MODELO HÍBRIDO DE REABILITAÇÃO CARDIOVASCULAR: RELATO DE CASO. Movimenta (ISSN 1984-4298), 15(2), e20220028. https://doi.org/10.31668/movimenta.v15i2.12138
Seção
Relato de Caso ou Experiência