Por uma leitura territorial do Cerrado: o elo perverso entre produção de riqueza e desigualdade social

For territorial reading of the Cerrado: the perverse link between the production of wealth and social inequality

  • Eguimar Felício Chaveiro Universidade Federal de Goiás - IESA
Palavras-chave: Leitura territorial do Cerrado. Desigualdade social. Geopolítica. Escalas geográficas.

Resumo

A empreitada coletiva em torno da construção geográfica de uma abordagem do Cerrado – e as pesquisas diretamente envolvendo o Cerrado goiano, colocam em cena duas interrogações: quais são as produções de sentido das diferentes representações do Cerrado? Essa interrogação pode ser mais simples: qual é o tino político advinda das representações do Cerrado? Por meio de um diálogo ativo com geógrafos de Goiás e fora de Goiás; e também com membros dos Movimentos Sociais e com todos aqueles que defendem a vida íntegra e os direitos humanos, pontuamos que há, para a cunhagem crítica da interpretação do Cerrado, a necessidade de entrelaçar as noções de Bioma a de Território. Esse entrelaçamento parte de uma premissa: o Cerrado goiano é uma construção geopolítica. Portanto, cabe, numa análise crítica, deslindar a sua ideologização. E compreender a formação de um território desigual.

Palavras-chave: Leitura territorial do Cerrado. Desigualdade social. Geopolítica. Escalas geográficas.

Abstract: The collective endeavor around the geographic construction of an approach to the Cerrado - and research directly involving the Cerrado in Goiás, allow two questions: what are the production of meaning of the different representations of the Cerrado? This question may be simpler: what is the political sense that comes from the representations of the Cerrado? Through an active dialogue with geographers from Goiás and outside Goiás; and also with members of the Social Movements and with all those who defend integral life and human rights, we point out that, for the critical reading of the Cerrado interpretation, there is a need to intertwine the notions of Biome and Territory. This intertwining starts from a premise: the Cerrado of Goiás is a geopolitical construction. Therefore, it is necessary, in a critical analysis, to unveil its ideologization and understand the formation of an unequal territory.

Keywords: Territorial reading of the Cerrado. Social inequality. Geopolitics. Geographic scales.

Resumen: El esfuerzo colectivo en torno a la construcción geográfica de un enfoque del Cerrado - y la investigación que involucra directamente el Cerrado en Goiás, permite dos preguntas: ¿cuál es la producción de significado de las diferentes representaciones del Cerrado? Esta pregunta puede ser más simple: ¿cuál es el sentido político que se desprende de las representaciones del Cerrado? A través de un diálogo activo con geógrafos de Goiás y fuera de Goiás; y también con los miembros de los Movimientos Sociales y con todos aquellos que defienden la vida integral y los derechos humanos, señalamos que, para la lectura crítica de la interpretación del Cerrado, es necesario entretejer las nociones de Bioma y Territorio. Este entrelazamiento parte de una premisa: el Cerrado de Goiás es una construcción geopolítica. Por tanto, es necesario, en un análisis crítico, desvelar su ideologización y comprender la formación de un territorio desigual.

Palabras clave: Lectura territorial del Cerrado. Desigualdad social. Geopolítica. Escalas geográficas.

Biografia do Autor

Eguimar Felício Chaveiro, Universidade Federal de Goiás - IESA

Graduado em Geografia pela Universidade Católica de Goiás, mestre em educação pela Universidade Federal de Goiás, doutor em Geografia pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professor associado da Universidade Federal de Goiás atuando nos níveis de graduação e pós graduação. É coordenador do Núcleo de estudos Espaço, Sujeito e Existência "Dona Alzira". Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: educação ambiental, a dinâmica da cidade, geografia urbana, geografia do trabalho e desenvolvimento urbano.

Referências

ANM – Agência Nacional de Mineração. Desempenho do setor mineral: Goiás e Distrito Federal. DNPM - 6° DS/GO, 2017.
ARRAIS, T, A. A produção do território goiano: economia, urbanização , metropolização. Goiânia: Editora UFG, 2013.
CASTILHO, D.; CHAVEIRO, E. F. Por uma análise territorial do Cerrado. In: PELÁ, M.; CASTILHO, D. (Org.). Cerrados: perspectivas e olhares. Goiânia: Editora Vieira, 2010. p.35-50.
CHAVEIRO, E. F.; BARREIRA, C. C. M. A. Cartografia de um pensamento de Cerrado. In: CASTILHO, D.; PELÁ, M. (Org.). Cerrados: perspectivas e olhares. Goiânia: Vieira, 2010. p.15-34.
DEMAMBRO, E. Eixo de integração viária: impactos econômicos e sociais da BR 158 sobre as cidades do Vale do Araguaia Mato-Grossense entre 2000 e 2014. Dissertação (mestrado), PUC, Goiânia/GO, 2016.
GOMES, O. A nova matriz espacial do território goiano. In: GOMES, H. (Org.). Universo do Cerrado. Goiânia: Ed. da UCG, 2008. Vol.2. p.353-376.
GONÇALVES, R. J. de A. F. No horizonte, a exaustão: disputas pelo subsolo e efeitos socioespaciais dos grandes projetos de mineração em Goiás. 504f. Tese (Doutorado em Geografia), Universidade Federal de Goiás, 2016.
HARVEY, D. A produção capitalista do espaço. Tradução de Carlos Szlak. São Paulo: Annablume, 2005.
HARVEY, D. 17 contradições e o fim do capitalismo. Tradução de Rogério Bettoni. São Paulo: Boitempo, 2016.
IMB - Instituto Mauro Borges. Goiás em Dados 2017. Goiânia/GO: SEGPLAN, 2017.
INOCÊNCIO, M. E. As políticas públicas para a agricultura e a incorporação do Cerrado – o PRODECER. Goiânia/GO, Mimeo, 2006.
INOCÊNCIO, M. E. O PRODECER e as tramas do poder na territorialização do capital no Cerrado. 279 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Goiás, Instituto de Estudos Sócio-Ambientais, 2010.
MENDONÇA, M. R. A urdidura espacial do capital e do trabalho no Cerrado do Sudeste Goiano. 2004. 457 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2004.
PIRES, M. O. Programas agrícolas na ocupação do Cerrado. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 3, n.1-3, p. 111-131, 2000.
RIGONATO, V. D. As representações sociais dos cerrados: um estudo de caso no Colégio Alexandre Leal Costa, no Oeste da Bahia. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 33, n. 2, p. 239-258, maio/ago. 2013.
SOUZA, J. G. Local-global: território, finanças e acumulação na agricultura. In: LAMOSO, L. P. Temas do desenvolvimento econômico brasileiro e suas articulações com o Mato Grosso do Sul. Curitiba: Íthala, 2015.
Publicado
2020-09-01
Como Citar
Chaveiro, E. (2020). Por uma leitura territorial do Cerrado: o elo perverso entre produção de riqueza e desigualdade social. Élisée - Revista De Geografia Da UEG, 9(2), e922008. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/elisee/article/view/10861