A ATUAÇÃO DO ECONOMISTA EM OCUPAÇÕES TÍPICAS E A COMPETIÇÃO COM OUTRAS ÁREAS

  • Sandro Eduardo Monsueto Universidade Federal de Goiás
  • Felipe Pureza Cardoso PPGECON/FACE/UFG - Programa de Pós Graduação em Economia
  • Gabriela de Moura Silva Melo Fertilizantes Tocantins

Resumo

O presente artigo analisa a inserção de formados em economia no mercado de trabalho brasileiro, considerando a concorrência de outros profissionais nas ocupações nas quais se espera a atuação de economistas. Com base nos dados do Censo de 2010, são estimados modelos de probabilidade de inserção em ocupações típicas da área de economia. Os resultados mostram baixa inserção de economistas nas ocupações típicas (cerca de 18%) e que as formações na área de administração são as principais concorrentes. Esta concorrência é acirrada pelo aumento da idade, mostrando que os primeiros matches ocupacionais são importantes para a entrada em ocupações relacionadas com o curso superior realizado. Também chamam a atenção resultados relacionados com a inserção feminina neste mercado.

Biografia do Autor

Felipe Pureza Cardoso, PPGECON/FACE/UFG - Programa de Pós Graduação em Economia

Mestrando em Economia pelo PPGECON/FACE/UFG - Programa de Pós Graduação em Economia

Gabriela de Moura Silva Melo, Fertilizantes Tocantins

Graduada em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Goiás

Publicado
2021-03-22
Seção
Artigos