A DESINDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL: UM PROCESSO, VÁRIAS VERTENTES

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar e analisar as teorias de uma variada gama de autores que se tornaram referência no estudo da desindustrialização, tendo como foco de pesquisa o Brasil. Para facilitar a análise, esses autores foram divididos em quatro vertentes: i) ortodoxa, ii) novo desenvolvimentista, iii) estruturalista e iv) industrialista. A contribuição deste trabalho além da desta divisão é a demonstração das possíveis causas do problema para cada grupo, no que se embasam suas conclusões, assim como suas respectivas recomendações para uma possível atenuação ou resolução do problema que aflige a indústria de transformação brasileira a décadas, não obstante um balanço crítico a respeito de cada vertente buscando contribuir com esta temática.   

Biografia do Autor

Ednilson Silva Felipe, Ufes

Professor do Departamento de Economia da Universidade Federal do Espírito Santo - UFES. Coordenador do GPIDECA - Grupo de Pesquisa em Inovação e Desenvolvimento Capixaba. Coordenador do Observatório do Desenvolvimento Capixaba - ODC. Doutor em Economia pelo Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mestre em Teoria Econômica (2006) e graduado em Ciências Econômicas (2003) pela Universidade Federal do Espírito Santo. Especialista em Controladoria e Finanças Empresariais, pela Universidade Federal de Lavras - MG (2007). Professor do Programa de Pós-Graduação em Economia/UFES e do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Desenvolvimento Sustentável/UFES

Daniel Pereira Sampaio, Ufes (Universidade Federal do Espírito Santo)

Professor de Magistério Superior no Departamento de Economia e do Programa de Pós-Graduação em Política Social da UFES. Doutor e Mestre pelo Instituto de Economia da UNICAMP. Bacharel em Ciências Econômicas pelo Departamento de Economia da UFES. Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Brasileira, Economia Regional e Urbana. Atua principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento econômico, economia brasileira contemporânea, desenvolvimento regional e urbano.

Publicado
2020-08-22
Seção
Artigos