APRESENTAÇÃO

  • Equipe Editorial

Resumo

A revista Building the way, publicada periodicamente pelo Departamento de Letras da Universidade Estadual de Goiás, Campus Cora Coralina, Unidade Universitária de Itapuranga, tem por objetivo divulgar trabalhos científicos inéditos (artigos, oficinas pedagógicas, resenhas e notas científicas) na área de Letras, em suas especificidades ou interdisciplinarmente. São aceitos trabalhos acadêmicos, em fluxo contínuo, nos idiomas português, espanhol e inglês. Em seu n. 1, v. 10, publicado em junho de 2020, a Building the way apresenta artigos que abordam assuntos ligados ao tema de Linguagens: Leituras sobre línguas, literaturas e aspectos sociais no mundo das Letras e, também, os que tratam dos muitos fenômenos relacionados a problemáticas de educação e práticas sociais e culturais de ensino/aprendizagem em contextos diversos. Os assuntos estão assim elencados:
Le Petit Prince e multimodalidade: linguagem literária, quadrinhos, novos leitores, este texto busca apresentar um estudo comparativo e analítico sob a perspectiva da multimodalidade e da intermidialidade, o processo de adaptação do clássico Le Petit Prince (1946) de Antoine de Saint-Exupéry para a linguagem dos quadrinhos da obra homônima de Joann Sfar (2008).
A criação linguística permeando os fluxos poéticos de João Guimarães Rosa em Ave, Palavra aborda a maneira que autor se utiliza dos neologismos como recurso inerente à linguagem para transcender a transparência e superficialidade da língua, abastecendo-se de toda significância e originalidade de uma palavra autêntica e livre da fala desgastada do cotidiano.
Análise da constituição da condição da mulher em Você Nasceu Para Isso, de Michelle Sacks, por meio das relações/lugares de poder e submissão exercidos pelos personagens na narrativa. E, partindo das reflexões analíticas formuladas por Walter Benjamin (1892-1940), Theodor Adorno (1903-1969) e Ferenc Fehér (1933-1994), a construção de uma análise da narrativa Uma tarde plena, de Clarice Lispector (1920-1977).
Apresentação da Geografia da Infância destacando o diálogo já bem estabelecido deste campo de estudos com a chamada Teoria Histórico-Cultural, desenvolvida por Lev Semionovitch Vigotski e seus colaboradores. Neste sentido, mostrando algumas produções (desenhos e falas) de autoria de crianças moradoras do bairro Dom Bosco, em Juiz de Fora-MG, a fim de uma defesa do desenho como linguagem essencial à Geografia, que não pode ser subestimada, sobretudo para uma compreensão das vivências espaciais das crianças.
Verificação do olhar social brasileiro sobre a cultura cigana, apontando os preceitos e os preconceitos que o compõe, delimitando o entendimento do motivo dos ciganos serem marginalizados e praticamente invisíveis ao olhar popular. Trata-se de uma análise do comportamento ideológico da sociedade brasileira para com a cultura cigana, identificando as consequências de uma visão pejorativa. Este apontamento parte de obras escritas, de gêneros distintos e de como essa cultura tem sido retratada no Brasil desde a colonização até os dias atuais.
Mostra da evolução do ensino de língua estrangeira ao longo dos anos até os dias atuais, discutindo o papel do livro didático no ensino. Com isso, uma apresentação da definição de multimodalidade e letramento, passando pelas metodologias e ensino de Língua Estrangeira através dos anos e chegando aos livros didáticos para uma expectativa em relação a esse material e sua evolução junto às metodologias e ao ensino até os dias atuais.
A identificação de como o olhar da poeta Cecília Meireles aproxima-se ao olhar geográfico e, através de uma experiência empírica, possibilita diversas leituras sobre os lugares e espaços experienciados. Um diálogo entre Geografia e Literatura permitindo o descortinar dos horizontes para apreender os detalhes que a ciência e a arte proporcionam em seu meio, para então, compreender a experiência humana no mundo.
A demonstração do papel positivo dos Grupos de Estudo e Pesquisa na formação acadêmica, profissional e pessoal do discente, apontando que esses grupos proporcionam aos participantes aplicabilidade do conteúdo ministrado em sala de aula, assim como a vivência com profissionais da área e com atividades do âmbito de atuação.
A apresentação da noção de sequência textual definida por Jean-Michel Adam com o objetivo de analisar trechos do romance O Cemitério (1983) do autor Stephen King e da letra da canção Pet Sematary (1989) da banda de rock Ramones. E, por último, uma discussão sobre a percepção dos acadêmicos
do Curso de Letras do Campus de Ciências Socioeconômicas e Humanas (CSEH), da Universidade Estadual de Goiás (UEG), sobre a importância das disciplinas da área da Linguística para a formação do professor de Língua Portuguesa.
Acreditamos que as pesquisas apresentadas neste número possam contribuir com o debate e a reflexão sobre as leituras de línguas, literaturas e aspectos sociais no mundo das Letras.
Equipe Editorial

Publicado
2020-06-24