LE PETIT PRINCE E MULTIMODALIDADE

LINGUAGEM LITERÁRIA, QUADRINHOS, NOVOS LEITORES

  • Egirlandia Mendes Pinheiro Universidade Federal de São Paulo - EFLCH/UNIFESP
  • Ana Luiza Ramazzina Ghirardi Professora Associada vinculada à Graduação e Pós-Graduação Departamento de Letras da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - UNIFESP

Resumo

Este artigo busca apresentar um estudo comparativo e analítico sob a perspectiva da multimodalidade e da intermidialidade, o processo de adaptação do clássico “Le Petit Prince” (1946) de Antoine de Saint-Exupéry para a linguagem dos quadrinhos da obra homônima de Joann Sfar (2008). Postula-se que essa adaptação dialoga com as mudanças sociais que determinam a formação de um novo público leitor. A análise busca verificar 1) quais mudanças ocorrem em virtude do processo de adaptação do livro ilustrado para a linguagem quadrinística, 2) quais elementos do enredo foram mantidos, excluídos ou inseridos na adaptação. Os referenciais que fundamentam a análise são os trabalhos de Pina (2014a, 2014b), Vergueiro (2004, 2009) e Eisner (1985) sobre a linguagem dos quadrinhos, Hutcheon (2013) sobre o processo de adaptação e Clüver (2006) a respeito de intermidialidade e multimodalidade.

Publicado
2020-06-17