Controle de Sclerotinia sclerotiorum pelo emprego de látex de pinhão manso

  • Camila Vilela Vasconcelos
  • Franciely Magalhães Barroso
  • Gustavo Henrique Silva Peixoto
  • Maria Eduarda Sampaio Barboza
  • Fabricio Rodrigues
  • Ednaldo Cândido Rocha
  • Daniel Diego Costa Carvalho

Resumo

O mofo branco, causado pelo fungo Sclerotinia sclerotiorum, tem ocasionado perdas na produtividade de diversas culturas. Desta forma, a utilização de alternativas menos agressivas para controle desse fungo vem sendo buscadas, como exemplo, a utilização de produtos bioativos. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a capacidade do látex de pinhão manso (Jatropha curcas) para controle in vitro de S. sclerotiorum. As concentrações avaliadas foram de 0, 0,5%, 1,0% e 5,0%. Todos os tratamentos, representados pelas concentrações de látex de J. curcas foram eficientes, pois apresentaram menor área abaixo da curva de crescimento micelial (AACCM) em relação ao tratamento Testemunha. As concentrações de 1,0% e 5,0% não apresentaram diferença estatística e a concentração de 0,5% foi a que apresentou a menor AACCM. Em conclusão, o látex de J. curcas foi efetivo no controle in vitro de S. sclerotiorum, e sua concentração ideal foi de 0,5%.

Publicado
2020-06-16
Seção
Artigos