Entre ruínas e permanências: o patrimônio face à especificidade da urbanização goiana

  • Luana Nunes Martins de Lima
Palavras-chave: Patrimônio cultural, Urbanização, Goiás, Memória.

Resumo

Em Goiás, muitas cidades fundadas no ciclo da mineração, não tiveram seu patrimônio consagrado, restaurado ou mantido pelos órgãos de preservação, restando poucos bens na malha urbana. Cidades cuja história reconstrói o processo pelo qual os valores modernos fixaram-se no “sertão”. A proposta deste artigo é expor o contexto de análise do patrimônio goiano face à especificidade da urbanização colonial no estado, evidenciado como sua condição de negligência é fruto de processos que podem ser contextualizados na história. As permanências do patrimônio, contudo, são latentes, e não se expressam unicamente pelas materialidades históricas mantidas no espaço urbano, mas, sobretudo, pelas práticas simbólicas que nutrem este espaço.

Publicado
2017-12-31
Seção
Artigos