Expansão da atividade mineradora e os conflitos socioambientais: as redefinições territoriais do cerrado

  • Ricardo Júnior Fernandes de Assis Gonçalves Instituto de Estudos Sócio-Ambientais - UFG
  • Marcelo Rodrigues Mendonça Instituto de Estudos Sócio-Ambientais - UFG
Palavras-chave: Cerrado, Mineração, Território, Trabalho, Conflitos Socioambientais

Resumo

As intervenções territoriais dos grandes empreendimentos na ocupação do Cerrado intensificam os conflitos socioambientais e impactam a organização do trabalho e dos espaços da existência de Comunidades Camponesas. Terra, água e minérios passam a compor a centralidade das disputas por territórios diante da crescente demanda por commodities (agrícolas e minerais), assegurando longevidade às condições de reprodução (simples e ampliada) do capital. O objetivo do artigo é analisar os efeitos da expansão dos grandes empreendimentos de mineração no Cerrado e demonstrar os desdobramentos socioespaciais neste Bioma-território em Goiás. Destaca-se que a destruição ambiental e a precarização do trabalho se aglutinam enquanto mecanismos globais para estabelecer o controle dos territórios e dos trabalhadores. A metodologia utilizada baseia-se em procedimentos no âmbito da pesquisa qualitativa e levantamento de dados quantitativos. A pesquisa permite demonstrar que a inserção contraditória do Cerrado nos fluxos nacionais e internacionais de produção capitalista (mineração, turismo, agronegócio, hidrelétricas etc.), não transforma apenas as riquezas naturais, mas, também o trabalho e a cultura dos Povos Cerradeiros.

Publicado
2015-03-31
Seção
Artigos