Roteiros e Dramas: a identidade territorial dos Kalunga que vivem “entre territórios”

  • Jorgeanny de Fátima Rodrigues Moreira
  • Maria Geralda de Almeida Instituto de Estudos Socioambientais – UFG
Palavras-chave: Kalunga, Engenho II, Território, Festas, Identidade

Resumo

No presente artigo apresentaremos algumas reflexões acerca da identidade territorial dos Kalunga migrantes, que tiveram na mobilidade, entre a comunidade de origem e o novo território que habitam, uma oportunidade de melhoria da qualidade de vida. O encontro com esses indivíduos se deu durante as principais festas da comunidade. A festa oportuniza o reencontro, a sociabilidade e a solidariedade entre os Kalunga, tanto para aqueles que permanecem como aqueles que já não mais vivem no local. A partir dessas premissas, algumas indagações propiciaram o desenvolvimento do texto: os Kalunga migrantes mantêm laços que conformam as relações de identidade com o território de origem? Esses laços impedem a construção de novos hábitos, costumes e práticas sociais em outros lugares? Quais os traços da identidade territorial desses indivíduos que vivem entre territórios? Para responder estes questionamentos recorremos à pesquisa bibliográfica sobre temas como território e identidade. Além disso, utilizamos as metodologias observação participante e entrevista semi-estruturada, as quais nos subsidiaram a compreensão sobre questões ligadas a identidade territorial no território Kalunga, bem como o valor dado por esse povo as suas tradições e cultura.

Biografia do Autor

Jorgeanny de Fátima Rodrigues Moreira
Graduada em Turismo pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás. Graduada em Geografia pelo Instituto de Estudos Sócioambientais da Universidade Federal de Goiás. Mestre e doutoranda em Geografia pela mesma instituição de ensino.
Publicado
2015-03-31
Seção
Artigos