PRESERVAÇÃO DAS PAISAGENS RURAIS DE HELENA ANTIPOFF EM MEIO À EXPANSÃO URBANA: AMEAÇAS EFETIVAS NA CALHA DO CÓRREGO PELADO, DISTRITO DO PARQUE DURVAL DE BARROS, IBIRITÉ - MG

  • Vagner Luciano Andrade Rede Ação Ambiental

Resumo

O presente trabalho discute a preservação das paisagens rurais no entorno da Fundação Helena Antipoff, localizada no Canal de Ibirité, espaço natural ameaçado em meio à expansão urbana. O estudo centra-se nas ameaças efetivas decorrentes do Loteamento Ibituruna, em implantação na calha do Córrego Pelado, Distrito do Parque Durval de Barros. A urbanização ao retirar a vegetação nativa contribui demasiadamente para o assoreamento da Lagoa Ibirité, cujos índices de poluição são elevados. No final dos anos de 1970, o PLAMBEL propôs a criação do Parque Urbano Metropolitano da Lagoa Ibirité, o que não se efetivou devido á quantidade de loteamentos que se empreendeu em sua orla. Após criteriosa revisão bibliográfica, o artigo propõe alternativas para se preservar os ecossistemas e paisagens ameaçados através da criação de parque urbanos agroecológicos, um no Canal de Ibirité e outro no Serra Dourada. Por último, sugere-se o tombamento, nas três esferas governamentais do Conjunto Arquitetônico e Paisagístico da Fundação Helena Antipoff. Palavras-chave: Unidades de Conservação, Urbanização, Fragmentação de Ecossistemas; Impactos Ambiental, Descaraterização.

Referências

.
Publicado
2021-09-15
Seção
Artigos