ANÁLISE ESPACIAL DOS REJEITOS DE MINÉRIOS EM ECOSSISTEMAS MARINHOS NO BRASIL

  • Verônica Fernandes Costa Centro de Formação em Ciências Ambientais – UFSB – Campus Sosígenes Costa – Porto Seguro (BA)
  • Igor Emiliano Gomes Pinheiro Centro de Formação em Ciências Ambientais – UFSB – Campus Sosígenes Costa – Porto Seguro (BA).

Resumo

As barragens estão construídas por todo o território brasileiro, entretanto, é no Estado de Minas Gerais que ocorre a maior concentração delas. Desastres de barragem de rejeito de minério são as mais recorrentes, principalmente em Minas Gerais, sendo, o mais grave, o acidente de Mariana. O presente estudo objetivou analisar os impactos gerados pelo rompimento das barragens do Fundão e Santarém na foz do Rio Doce, localizada no Mar de Regência, em Linhares (ES), utilizando a revisão bibliográfica e análise espacial, visando evidenciar os impactos da pluma de sedimentos nos ecossistemas marinhos. Construiu-se um banco de dados quantitativos, qualitativos e espaciais acerca da região estudada entre fevereiro a abril de 2019, com atualizações em março e abril de 2020, que foi gerenciado e analisado a partir do ambiente SIG com auxílio do software livre QGIS 2.18. O rompimento das barragens Fundão e Santarém atingiu cerca de 6.197 km² na foz do Rio Doce e zona costeira, afetando ecossistemas oceânicos e toda a fauna e flora marinha. Ainda há muitas incertezas que permeiam este impacto à médio e longo prazo, bem como o efeito do mesmo em relação à saúde da população.
Palavras-chave: Geoprocessamento, Barragem do Fundão, Desastre ambiental, Zona costeira.

Referências

.
Publicado
2020-05-23
Seção
Artigos