A REVISTA TEMPORIS[AÇÃO] PUBLICA PRIMEIRO ARTIGO EM FLUXO CONTÍNUO

2020-02-11

Com o relato de experiência Agosto Indígena, a Revista Temporis[ação] passa a adotar o fluxo contínuo em seu processo editorial. A revista que já recebia trabalhos em fluxo contínuo, agora, passa a publicá-los também nesse formato.

A principal vantagem do novo procedimento editorial é diminuir bastante o tempo entre a primeira submissão do trabalho e sua publicação final. Antes, os trabalhos eram publicados todos de uma só vez, assim que concluída a edição daquele volume. Agora, finalizando os trabalhos editoriais, com a produção do layout, cada texto é publicado independentemente.

A celeridade trazida pelo fluxo contínuo dinamiza o processo editorial, diminuindo rapidamente a fila de trabalhos em edição e, consequentemente, o tempo total dentre a sumissão e a publicação do texto. Assim, a publicação de conteúdo cultural, acadêmico e científico apresentar-se-á cada vez mais sintonizada com o contexto de sua produção.

O primeiro trabalho a ser publicado nesse formato é o relato de experiência "AGOSTO INDÍGENA: FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE SÃO PAULO PARA A APLICAÇÃO DA LEI 11.645/08", de autoria de Fernanda Borsatto Cardoso, doutora em educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e tam´bém professora da Educação Infantil da rede municipal de educação da Capital Paulista. Ela divide a autoria do trabalho com o indígena Guarani Emerson de Oliveira.

No trabalho, eles apresentam a experiência de formação de professores da Rede Municipal de Ensino de São Paulo para a aplicação da Lei 11.645/08 por meio da realização do projeto Agosto Indígena, nas edições do evento realizadas entre 2014 e 2017. Para os autores, iniciativas como essa "são fundamentais para a diminuição do preconceito e desigualdades, pois vislumbra uma educação descolonizadora, em que há o reconhecimento da importância de todas as culturas, partindo do princípio que a valorização dos diversos sujeitos históricos constitue experiências inestimáveis que podem transformar a sociedade" (CARDOSO; OLIVEIRA, 2020, p. 24).

Baixe aqui o texto (e se gostar, compartilhe) https://www.revista.ueg.br/index.php/temporisacao/article/view/6822