CHAMADA PARA DOSSIÊ: ÁFRICA E SUA DIÁSPORA: PENSAMENTOS E LINGUAGENS

2020-08-04

A Lei 10.639/03 que instituiu o ensino de história da África e de história e cultura afrobrasileira na educação básica veio para inscrever, na ordem do discurso, o indivíduo da diáspora preta como protagonista de seu passado. Cientes das exceções que ousaram transpor as barreiras do cânone racializado - como Zumbi dos Palmares, Dandara, Luiz Gama e Maria Firmina dos Reis - tal legislação conquistada pelo movimento negro veio para alterar um dispositivo de poder: o lugar dado socialmente aos povos não brancos de objeto para o de sujeito. Tal protagonismo almeja, a partir de uma variedade semântica, revisar a escrita da história para instaurar novos paradigmas, propor novas categorias, evidenciar estéticas e celebrar autorias que contemplem a influência negra na construção do mundo.

Nesse sentido, nomes como os de Beatriz Nascimento, Arthur Timótheo, Lélia Gonzalez, Benedito José de Andrade, Mickalene Thomas, Milton Nascimento, Dona Ivone Lara, Jovelina Pérola Negra, Gilberto Gil, Dona Lia do Itamaracá, Löis Mailou Jones, Jean-Michel Basquiat, Abdias Nascimento, Sueli Carneiro, Joel Rufino, bell hooks, Lima Barreto, Machado de Assis, Achille Mbembe, Chimamanda Adichie e tantos/as outros/as que integram a constelação negra de pensadores/as, escritores/as e artistas são chamados/as para árdua tarefa de reelaboração da memória da humanidade.

À luz desse registro, este Dossiê é dedicado ao pensamento negro articulado às linguagens artísticas, com vistas a decodificar a contribuição africana e afro-diaspórica na configuração da humanidade.

Organização: 

Dra. Vanilda Maria de Oliveira (UNEMAT)

Dr. André Luiz de Souza Filgueira (UFPA)

 

Prazo final de  submissão: 30 de março de 2021. 

Página de submissão: https://www.revista.ueg.br/index.php/revistanos