Revolução e democracia: o eurocomunismo no Brasil, no crepusculo da ditadura militar

Revolution and democracy: eurocommunism in Brazil, in the twilight of the military dictatorship

  • Ana Maria Said

Resumo

Pretendemos nesse trabalho resgatar a unidade e o marxismo de Antonio Gramsci, a coerência de análise, mesmo nos fragmentos dos seus Cadernos, a constância dos temas retomados em um contexto unitário profundo, para compreender o retrocesso orgânico que estamos vivenciando no Brasil atual e na América Latina como um todo.

            Uma parcela da chamada esquerda brasileira é influenciada pelo marxismo de Antonio Gramsci, utilizando-se de suas categorias para interpretar a realidade brasileira, conceitos esses que sofreram interpretações diversas, desviando-se muitas vezes da formulação gramsciana.

            Carlos Nelson Coutinho é o principal divulgador e tradutor das obras gramscianas em nosso país. Havia também um grupo de renovadores no Partido Comunista Brasileiro (PCB), os chamados gramscistas, no início da década de 1980, que traduzem Gramsci e se utilizam de seus conceitos para analisar a realidade brasileira e assim propor uma “nova” estratégia para o Partido.

            O marxismo brasileiro rompia com o stalinismo no campo filosófico e na sociologia da cultura, mas não no campo político. Por outro lado, com o início da década de 1980, o gramscismo no Brasil tem como interpretação a orientação do Partido Comunista italiano, defendendo a democracia como estratégia e analisando-a como um valor universal, conforme orientação de Enrico Berlinguer, chefe do partido italiano.

            Estudaremos o debate que ocorre em 1980, no interior do PCB, discutindo estratégia e democracia, o que faremos para avaliar uma questão de práxis ainda fundamental para a esquerda brasileira, os conceitos de democracia e revolução gramscianos, que é também a questão central para a esquerda contemporânea.

            Para essa análise, é fundamental retornar ao marxismo de Gramsci e à sua obra, e retomar conceitos básicos de sua estratégia para a revolução comunista, o que possibilita uma análise crítica do eurocomunismo europeu e seus braços no Brasil, com as consequências atuais do recrudescimento conservador e o perigo da retomada dos grupos políticos de direita, e fascistas, em nosso país.

Palavras-chave: Democracia – Estratégia - Revolução

Publicado
2022-06-29
Seção
Dossiê Temático: “100 anos do Partido Comunista Brasileiro (PCB)"