EDUCAÇÃO EM TEMPOS DE PANDEMIA: ENSINO REMOTO EMERGENCIAL E AVANÇO DA POLÍTICA NEOLIBERAL

  • Cláudia Lúcia Costa Faculdade de Ciências Integradas do Pontal (FACIP/UFU)

Resumo

O presente trabalho aborda o avanço do neoliberalismo no Brasil nos últimos anos que, traz no bojo de suas políticas as disputas entre os projetos educacionais para burguesia e para o proletariado. A educação pública tem sido alvo de intensas contrarreformas que tensionam com os anseios da população. O contexto da pandemia da COVID-19 evidencia as desigualdades e contradições econômicas e sociais, colocando a luta pela vida em contraposição à garantia do lucro. Analisar na conjuntura da pandemia, a proposta do Ensino Remoto Emergencial, partindo do cenário da flexibilização do trabalho, por meio dos principais documentos norteadores dessa proposta em tempos de COVID-19 e como se insere no processo de avanço do projeto neoliberal, que resulta na ameaça à educação pública e socialmente referenciada, bem como na necessidade de uma consciência crítica do esgotamento do sistema capitalista que devasta em nome do lucro. Os resultados apontam para o avanço do projeto neoliberal na educação, através do Ensino Remoto Emergencial, colocando em risco a educação pública, as escolas públicas e as universidades públicas, bem como a possibilidade de avanço da Educação a Distância (EaD) e do processo de privatização e flexibilização do trabalho docente na educação, intensificados pela dificuldade de organização coletiva em meio à pandemia.

Biografia do Autor

Cláudia Lúcia Costa, Faculdade de Ciências Integradas do Pontal (FACIP/UFU)

Pós-Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (PPGE/UFSCar). Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (PPGG/UFU). Professora da Faculdade de Ciências Integradas do Pontal da Universidade Federal de Uberlândia (FACIP/UFU). Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação no Campo da Universidade Federal de São Carlos (GEPEC/UFSCar).

Publicado
2020-10-13