A CONCEPÇÃO DE HISTÓRIA DE SÉRGIO BUARQUE DE HOLANDA: INTERPOSIÇÃO TEÓRICO-METODOLÓGICA ENTRE MAX WEBER E A ESCOLA DOS ANNALES

  • Fábio Alexandre da Silva Universidade Federal de Pelotas (UFPel)
  • Aparecida Favoreto Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)

Resumo

Este texto tem como objetivo retomar a concepção de História de Sérgio Buarque de Holanda, procurando compreender como o autor interpretava o processo de desenvolvimento histórico. Para tanto, além de obras buarqueanas, recorreu-se a autores que se debruçaram sobre a vida e obra do historiador paulista, destacando-se Candido (1995), Dias (1998), Mello (1995), Vainfas (1998), Blaj (1998) e Costa (2007), os quais deram substrato teórico para o processo de análise. Em linhas gerais, o artigo está estruturado em dois momentos, sendo debatido, inicialmente, o conceito de História e suas vicissitudes teóricas e, na sequência, analisa-se a concepção de História do autor em relação ao seu contexto. Na análise, observou-se uma variação teórico-metodológica importante no pensamento e obra de Sérgio Buarque de Holanda, que se fundamenta tanto na perspectiva de transformação histórico-social de Max Weber como também se apoia no método expositivo e interdisciplinar da Escola dos Annales.

Biografia do Autor

Aparecida Favoreto, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)

Docente Associada e Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação, nível de mestrado e doutorado, e do Colegiado de Pedagogia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Unioeste, campus de Cascavel-PR. Doutora em Educação (UFPR). Mestre em Educação (UEM). Graduada em História (UEM).

Publicado
2020-07-09