CHAMADA PARA O DOSSIÊ ABORDAGENS EM HISTÓRIA DA LOUCURA

2021-11-26

A Revista Expedições: Teoria da História e Historiografia está reunindo artigos para o Dossiê Abordagens em História da Loucura. Trata-se de um campo discursivo iniciado com a obra homônima de Michel Foucault (1961) e evidenciado por Robert Castel em A ordem psiquiátrica (1977): “A História da Loucura (de M. F.), marcou, em relação ao etnocentrismo médico, uma ruptura em cujo rastro qualquer empreendimento deste gênero não pode deixar de se inscrever”. Nesse campo discursivo, dialogam hoje diferentes intensidades em esforços do desdisciplinar-se e do desterritorializar-se. Afinal, a loucura aparece aprisionada, desde o século XVII, o que a colocou socialmente ao lado da fome, do abandono, da pobreza, da marginalidade, da exclusão de classe, de raça e de gênero, além de ter se tornado objeto da razão. Tudo isso se produziu simultaneamente com a invalidação da pessoa e a fabricação autoritária da subjetividade pela sociedade, pelo Estado e suas instituições. Historiar a loucura se faz de diferentes maneiras e não é o caso de barrar esse processo criativo e de múltipla resistência. É apenas no sentido do estímulo que se podem indicar direções. Este Dossiê vem abrir espaço para as maneiras de intensificar as vozes da loucura na literatura, na música, na poesia, no cinema, na fotografia, na pintura, no teatro, na arquitetura etc. Ele vem acolher o discurso das/dos trabalhadores que têm se confrontado com os processos de inclusão marginal na educação formal (com a educação inclusiva), nas políticas de assistência social, na socioeducação, nas casas de recuperação, enfim nas novas e velhas formas de internamento e instituições totais. Ele vem abrigar a história dos movimentos (nacional e internacional) antimanicomial, pelo desencarceramento e contra a psiquiatrização da infância e geral da sociedade. Nesta edição queremos abordar todas essas discursividades com suas aberturas e amplitudes como também com seus enfrentamentos e especificações concretos e localizados territorialmente. Entendemos que é no todo e por mutirão que a história da loucura é pensamento vivo sobre o andamento da civilização. Este Dossiê da Revista Expedições, avaliada com a nota A4 pelo Qualis Capes/2019, convida as/os autores para esses diálogos.