Orientação para o mercado e processo de negócios com o uso de tecnologias da informação e comunicação no varejo maceioense

  • Raul Costa Cavalcanti Manso Universidade Federal de Alagoas
  • Francisco José Peixoto Rosário Universidade Federal de Alagoas
  • Luciana Peixoto Santa Rita Universidade Federal de Alagoas

Resumo

Este trabalho objetivou analisar se as micro e pequenas empresas de varejo não-alimentício dos shopping centers de Maceió são orientadas ao mercado, utilizando-se das tecnologias da informação e comunicação (TICs) em seus respectivos processos de negócios, a partir dos três constructos comportamentais de Narver e Slater (1990). Percebeu-se que os micro e pequenos empresários buscam intuitivamente se orientar ou sobreviver ao mercado. O estudo é quantitativo, sendo descritivo quanto aos objetivos. Elaborou-se para aplicação nesses estabelecimentos um questionário fechado na escala de Likert adaptados dos três constructos comportamentais de Narver e Slater para orientação de mercado. Foram adicionadas variáveis para medir o impacto das TICs para a formação de inteligência mercadológica por meio da obtenção e uso das informações coletadas internamente. Ademais, o potencial das TICs adquiridas nestas organizações não é aproveitado, pois não se utilizam as informações registradas para tomada de decisões estratégicas, apenas para o cumprimento de obrigações com o Fisco Estadual. Por fim, destaca-se que a implantação das TICs apresenta pequenas mudanças dentro das empresas para a formulação de estratégias que as orientem para o mercado.

Palavras-chave: Micro e pequenas empresas. Orientação para o mercado. Tecnologia da informação e comunicação.

Biografia do Autor

Raul Costa Cavalcanti Manso, Universidade Federal de Alagoas
Graduando em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Alagoas.
Francisco José Peixoto Rosário, Universidade Federal de Alagoas
Professor adjunto da Universidade Federal de Alagoas; Doutor em Economia da Indústria e da Tecnologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Luciana Peixoto Santa Rita, Universidade Federal de Alagoas
Professora do Mestrado em Administração Pública/ UFAL
Publicado
2019-01-06
Seção
Artigos