Avaliação das Garantias Governamentais em Projetos de Concessão Rodoviária

  • Rodrigo SantAnna IAG - Escola de Negócios da PUC-Rio

Resumo

As Parcerias Público-Privadas (PPPs) são a utilizadas pelos governos para desenvolverem projetos de infraestrutura que demandam altos investimentos. Apesar de sua atratividade, há diversos riscos embutidos nesses projetos, que podem ser mitigados através de garantias governamentais e os tornam mais atrativos para os investidores privados. O objetivo deste artigo é analisar o custo-benefício de cada nível de garantia governamental em projetos de Concessão Rodoviária, limitando a exposição do governo e mantendo os benefícios para o investidor privado. A abordagem utilizada através da teoria das Opções Reais gerou 2 modelos: o primeiro de Garantia Mínima de Tráfego e um segundo modelo combinando o primeiro com Limite Máximo de Tráfego. Esses modelos foram aplicados na análise da concessão do lote rodoviário denominado “Rodovia de Integração do Sul – RIS”, cujo prazo é de 30 anos.  Ao utilizar as garantias mínimas de tráfego, o projeto teve seu risco reduzido na medida em que o governo passou a assumi-lo. Ao inserir os limites máximo de tráfegos, nota-se que a determinado nível, reduzem os riscos do projeto para o investidor privado e para o governo. Por fim, observou-se que o valor da tarifa do pedágio proposta poderia ser inferior, mantendo ainda o projeto economicamente viável.

Biografia do Autor

Rodrigo SantAnna, IAG - Escola de Negócios da PUC-Rio

Doutorando em Finanças na Escola de Negócios da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2012), graduado em Matemática pela Universidade Federal Fluminense (2008) e graduado em Economia pela Universidade do Sul de Santa Catarina (2018).

Publicado
2020-11-02
Seção
Artigos