Por uma conceituação discursiva do diálogo

  • Maria das Dores Nogueira Mendes UFC - Universidade Federal do Ceará
  • José Wesley Vieira Matos UFC - Universidade Federal do Ceará
  • Maria Bianca da Silva Marques UFC - Universidade Federal do Ceará

Resumo

Nossa pesquisa tem por objetivo identificar e comparar as definições relacionadas à noção de diálogo na Linguística Textual, Análise do Discurso e Análise da Conversação, a fim de propor um sistema de conceituações discursivo visando a uma maior precisão terminológica na convergência dessas áreas. Para isso, investigamos as proposições de Adam (2019), Bakhtin (1979/ 2003), Charaudeau (2010), Kerbrat-Orecchioni (2006), Cavalcante (2013), Pauliukonis e Cavalcante (2018), Blancafort e Valls (2007), Valls (1997), Fávero e Koch (1987) e Marcuschi (2006, 2008), que se ocupam de classificar conceitos relativos a diálogo, além de fundamentarmos nossa proposta categorial em Maingueneau (2005, 2006, 2010, 2015). No núcleo de nossa reflexão, faz-se necessário distinguir entre a definição de diálogo como hipergênero do regime instituído, a definição de conversa, enquanto forma enunciativa do regime conversacional, e os pormenores de uma cenografia mono/dialógica. Dessa forma, pretendemos com nossa proposta que, na imbricação das áreas mencionadas, possa delinear as fronteiras entre as múltiplas ocorrências textuais que são nomeadas de diálogo.

Biografia do Autor

Maria das Dores Nogueira Mendes, UFC - Universidade Federal do Ceará

Tem especialização em Linguística e Ensino do Português pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Mestrado e Doutorado em Linguística pela mesma instituição. Atualmente, é professora Adjunta I do Departamento de Letras Vernáculas (DLV) e professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGL), ambos da Universidade Federal do Ceará.

Maria Bianca da Silva Marques, UFC - Universidade Federal do Ceará

Graduanda do curso de Letras Português-Espanhol da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Publicado
2020-06-17
Seção
Artigos