Violência, incesto e culpa no romance Sinfonia em branco, de Adriana Lisboa

  • Ana Maria Soares Zukoski UEM - Universidade Estadual de Maringá

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo realizar uma leitura do romance Sinfonia em Branco, publicado em 2001, por Adriana Lisboa. O enredo focaliza o tema do incesto apresentando as consequências psicológicas acarretadas, para a personagem Clarice, uma vez que o incesto, considerado como um tabu nas sociedades patriarcais aconteceu por meio do estupro, praticado pelo próprio pai. Com efeito, na obra, inserida em uma vertente urbana da literatura de autoria feminina, persiste a configuração de uma sociedade que apresenta resquícios da cultura patriarcal, o que corrobora, significativamente, com a intensificação dos traumas psicológicos que marcam as trajetórias das personagens femininas. 

Biografia do Autor

Ana Maria Soares Zukoski, UEM - Universidade Estadual de Maringá
Ana Maria Soares Zukoski é graduada em Letras Português- Inglês pela Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR/ Campus de Campo Mourão. Tem interesse na área de Letras, com ênfase em Literatura de Autoria Feminina Contemporânea. Desenvolveu o projeto intitulado "Violência, incesto e culpa no romance Sinfonia em Branco, de Adriana Lisboa", sob a orientação da professora Wilma dos Santos Coqueiro entre 2016 e 2017. Atualmente é aluna do Programa de Pós-Graduação em Letras, na Universidade Estadual de Maringá, na área de concentração: Estudos Literários, Linha de pesquisa: Literatura e Construção de Identidades.
Publicado
2018-09-27
Seção
Artigos