“Formas da impertinência” na literatura brasileira contemporânea: Delírio de damasco, de Verônica Stigger

  • Giselia Rodrigues Dias

Resumo

Este trabalho objetiva analisar a obra ficcional Delírio de Damasco, de Veronica Stigger (2012), a partir da noção de “impertinência” proposta por Florencia Garramuño (2014). Tendo em vista problematizar a noção de campos autônomos que já não consegue abarcar a cena literária contemporânea, a metodologia contempla os estudos teóricos/críticos de Josefina Ludmer (2010), Canclini (2016), Laddaga (2012), Shollhammer (2009), dentre outros. Espera-se que os resultados apontem para um diálogo com outras discussões já consolidadas sobre a obra em questão, bem como contribuam com os estudos que, nos últimos anos, vêm (re)pensando a expansão dos campos autônomos de atuação.

Publicado
2022-01-04
Seção
Artigos