Do híbrido ao remoto: experiências docentes no ensino superior em Campo Grande - MS

Resumo

O objetivo deste trabalho é apresentar as experiências vividas como docentes de um curso de Licenciatura em meio à pandemia do Novo Coronavírus (COVID-19), uma vez que as aulas presenciais suspensas fizeram com que os discentes do curso migrassem totalmente para um formato remoto. Como metodologia vamos apresentar de maneira descritiva as ações desenvolvidas por nós, para “amenizar” os impactos da mudança de um Ensino Híbrido para um Ensino Remoto Emergencial (ERE). Para fundamentação teórica buscamos sustentar nossas experiências metodológicas em Bandeira (2010), Camargo & Daros (2018), Campo Grande (2020a/2020b), Fialtro & Cavalcanti (2018), Godói e Silva (2016), Kalazantzis; Cope & Pinheiro (2020), Rojo (2012), Silus; Fonseca & Jesus (2020a/ 2020b), Tardif (2011) e Vasconcelos (2019). Esperamos que as discussões e resultados a ser apresentados possam colaborar com a prática docente de outros colegas, bem como suscitar um profícuo debate sobre as práticas pedagógicas no ERE.

Biografia do Autor

Alan Silus, UNIGRAN | UFMS - CPTL

Mestre em Letras – Linguagem: Língua e Literatura (UEMS), Doutorando em Letras – Estudos Literários (UFMS) é Professor do Centro Universitário da Grande Dourados – UNIGRAN e Docente Substituto da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – UFMS, Campus de Três Lagoas.

Josiane de Jesus Reis de Freitas, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Professora de Língua Portuguesa, Mestranda em Estudos de Linguagens pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Faculdade de Artes, Letras e Comunicação - FAALC

Publicado
2021-09-29
Seção
Artigos