A DEMANDA CHINESA E AS EXPORTAÇÕES DA SOJA GOIANA

UMA ANÁLISE PARA OS MUNICÍPIOS DE RIO VERDE E JATAÍ ENTRE 2009 E 2019

Resumo

O comércio exterior é de fundamental importância para a economia goiana, e vem apresentando resultados positivos nos últimos anos, de acordo com o Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos. A pauta de exportações goianas é composta basicamente por exportação de soja, carne e minérios. Na última década a China se tornou o principal destino das exportações goianas liderando tanto em volume exportado (toneladas) quanto em receita (US$). A entrada da China na Organização Mundial do Comércio, e posteriormente o surgimento do grupo econômico BRICS reforçaram a participação chinesa na América Latina e especialmente no Brasil. Além de parcerias comerciais, cresceu a influência chinesa nas decisões globais num processo definido por Oliver Stuenkel como o “Mundo Pós Ocidental”. A República Popular da China expande seu comércio em busca de influência, e fortalecimento do soft power, principalmente com a expansão dos Investimentos Externos Diretos IED. Com forte apoio do capital público, seja através de financiamento, seja através de investimento em pesquisas tecnológicas; e com o aumento dos Investimentos Externos, o cultivo da soja avançou em Goiás, visando atender, principalmente, a demanda internacional. Este trabalho tem como objetivo apresentar os dados referentes à exportação de soja para a China na última década, destacando para os municípios de Rio Verde e Jataí que são os dois maiores exportadores de soja no estado de Goiás.

Publicado
2021-03-22
Seção
Artigos