SOBRE CONTOS E RECONTOS:

NOTAS ACERCA DA FIGURAÇÃO DA PRINCESA E DO SIMBOLISMO EM “KALINDA, A PRINCESA QUE PERDEU OS CABELOS”, DE CELSO SISTO

  • Débora da Costa Oliveira UEG
  • Vanessa Gomes Franca UFG

Resumo

Neste artigo, analisamos o texto “Kalinda, a princesa que perdeu os cabelos”, de Celso Sisto, um reconto de uma narrativa africana do povo wakamba, evidenciando sua aproximação com as narrativas feéricas europeias, tendo em vista que, por mais distintas que tais culturas sejam, elas apresentam como plano de fundo a experiência humana. Como aporte teórico-crítico utilizamos os trabalhos dos autores: Cavalcanti (2004), Chevalier e Gheerbrant (2009), Coelho (1998), Corso e Corso (2006), Khéde (1990), Lody (2004), Macêdo (2017), Ramalho (2020), Tatar (2004), Von Franz (1985).

Biografia do Autor

Débora da Costa Oliveira, UEG

Professora de Língua Portuguesa e Literatura, da rede Estadual de Ensino do Estado de Goiás, ministrando aulas tanto no ensino fundamental como no ensino médio. É graduada em Letras-Português pela Universidade Federal de Goiás. Na Graduação, participou de projeto de Iniciação Científica, tendo sido bolsista do programa do CNPq PIBIC-AF. É Especialista em Estudos Literários e ensino de Literatura pela mesma universidade. Atualmente, é discente no programa de Mestrado PPG-IELT da Universidade Estadual de Goiás (UEG). Suas pesquisas se concentram em estudos sobre: leitura e escrita, gêneros do discurso, análise do discurso, narrativa brasileira contemporânea, (re)contos africanos e o papel da mulher na literatura.

Vanessa Gomes Franca, UFG

Doutora e Mestre em Letras e Linguística (Estudos Literários) pelo Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da Universidade Federal de Goiás e licenciada em Letras Português/Francês pela mesma universidade. Entre 2017 e 2018, desenvolveu a pesquisa de Pós-doutorado O personagem escritor e a questão da narrativa metaficcional na Literatura Infantil e Juvenil brasileira, no PPGLL da Faculdade de Letras da UFG, com bolsa PNPD/CAPES. Atualmente, é professora da disciplina Literatura infantil e juvenil na educação básica no curso de Especialização em Estudos Literários e Ensino de Literatura, da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás. Publicou, entre outros, os capítulos: ?A presença de narrativas metaficcioanais na literatura infantil e juvenil brasileira: um estudo das obras O problema do Clóvis, de Eva Furnari, e Um homem no sótão, de Ricardo Azevedo?; ?O palimpsesto metaficcional em O personagem encalhado, de Angela Lago?; ?Questões sobre o personagem-escritor, a tradição oral e a tradição escrita em O fantástico mistério de Feiurinha, de Pedro Bandeira?; ?Reescritura metaficcional dos contos de fadas em O outro lado da história, de Rosana Rios?, que faz parte do livro Literatura de recepção infantil e juvenil: modos de emancipar, organizado por Fabiano Tadeu Grazioli e Rosemar Coenga, ganhador do prêmio de Melhor Obra Teórica 2019, (produção 2018), da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ). Organizou, com o professor Dr. Flávio Pereira Camargo e a professora Dra. Zênia de Faria, o livro: Ensaios sobre literatura e metaficção. Desenvolve pesquisas, principalmente, nos seguintes temas: Literatura Infantil e Juvenil brasileira; Metaficção; Bestiário medieval; Cronística dos séculos XVI e XVII; Narrativa brasileira moderna e contemporânea; Tradução. É membro do Grupo de Pesquisa ?Estudos sobre a narrativa brasileira contemporânea? (CNPq/UFG) e do Grupo de Estudo e Pesquisa em Literaturas de Língua Portuguesa (GEPELLP). Faz parte da Rede Goiana de Pesquisa sobre a Mulher na Cultura e na Literatura Ocidental.

Publicado
2021-12-30