ANTONIO VIEIRA E MANOEL DE BARROS

A COMUNHÃO ENTRE OS SERES E A PALAVRA

Resumo

O presente trabalho parte de dois pressupostos para ler a obra de Manoel de Barros. O primeiro diz respeito a sua inconteste relação com a tradição literária, bem como a ressignificação de formas e temas que o poeta promove em seu diálogo com a tradição. O segundo diz respeito ao projeto estético já consolidado de Manoel de Barros, o qual se forma pela organizada combinação e repetição de temas e procedimentos linguístico-poéticos. Dados os pressupostos, o objetivo deste ensaio é compreender como se forma a ars poetica de Barros a partir de sua relação com a obra de Pe. Antonio Vieira. Nota-se, nas aproximações possíveis entre as duas poéticas, a presença de três elementos fundamentais para o projeto poético de Barros: a racionalidade, a retórica e a política. Para tanto, a pesquisa propõe dois eixos: o primeiro segue o conteúdo poético e a visão de homem construída na poética de Manoel de Barros em contraste com as criaturas pensadas por Vieira em sua teologia; o segundo discute a construção da poesia a partir de um expediente estilístico e retórico.

Biografia do Autor

Paulo Benites, Universidade Federal de Rondônia

Doutor em Estudos Literários. Docente do Departamento Acadêmico de Línguas Estrangeiras (DALE) e do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários (MEL) da Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Líder do Grupo de Pesquisa em Poéticas Moderna e Contemporânea (UNIR/CNPq).

Publicado
2021-07-06