Fake news como representação da violência

O caso do kit gay

Resumo

Por meio do Modelo Dialogal da Argumentação (PLANTIN, 2008, 2016, 2018, GRÁCIO, 2012, 2013,2019), este estudo mostrará como as fake news (ELLISON & BOYD, 2013) atuam como manifestação da violência, numa interação em redes sociais. Ali será analisado o conflito (estase), por meio do jogo de papéis actanciais, na plataforma Facebook, a qual se tem mostrado como eficaz palco de polêmicas (AMOSSY, 2017, 2018).  No atual contexto de interação propiciado pelas plataformas online, as redes sociais são ferramentas democráticas e de fácil acesso (MARCUSCHI, 2010), mas com conteúdo de violência rara, além de terreno fértil para a disseminação de fake news, foco desta pesquisa.

Biografia do Autor

RUBENS DAMASCENO-MORAIS, UFG

Professor Doutor em dedicação exclusiva pela Universidade Federal de Goiás

BRUNA AGAPITO DE OLIVEIRA, UFG

Mestranda pelo Programa de Pós- graduação em Letras e Linguística da Universidade Federal de Goiás (UFG). Graduada em Letras Português pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Possui experiência na área de Letras, com ênfase em Estudos Linguísticos. Participou do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) no Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação (CEPAE/ UFG). Fez parte do Programa Institucional de Voluntariado em Iniciação Científica (PIVIC). É membro do grupo de pesquisas Teorias de Argumentação e Retórica (TEAR). Possui como principal área de interesse Estudos Linguísticos com ênfase em Teorias da Argumentação e Retórica.

Publicado
2022-03-16