Educação bilíngue:

discutindo conceitos

  • Ana Paula Simoes Pessoa UFSC
  • Ruberval Franco Maciel UEMS

Resumo

Pesquisas no campo das linguagens, influenciadas pela sociolinguística da globalização, de perspectivas pós-estruturais da linguagem têm buscado ampliar o olhar para questões da linguagem e políticas linguísticas mais abrangentes de se fazer pesquisa e considerar linguagem. Assim, o presente artigo tem por objetivo propor uma redefinição de educação bilíngue. Para isso, apresento alguns modelos de ensino bilíngue, suas características e algumas reflexões sobre educação bilíngue no século XXI. As contribuições de García (2009) e Canagarajah (2013a; 2013b) a respeito de um novo paradigma para a educação bilíngue no século XXI nos permitem enxergar as práticas bilíngues como um fenômeno complexo e fluído. A partir do conceito de translinguagem podemos interpretar o que acontece no mundo escolar plurilíngue e transcultural. Pretendo com este trabalho contribuir para os estudos de educação bilíngue no Brasil e expandir perspectivas de linguagem, considerando-a como um movimento político, social e econômico.

Biografia do Autor

Ruberval Franco Maciel, UEMS

Pós-Doutor pelo programa de PhD in Urban Education da City University of New York - Estados Unidos. Doutor em Estudos Linguísticos e Literários de Inglês pela USP, com estágio doutoral no Centre for Globalization and Cultural Studies - Univeristy of Manitoba - Canadá. Mestre em Linguística Aplicada pela University of Reading - Inglaterra. Atualmente é professor da graduação e Pós-graduação em Letras e da graduação em Medicina e Assessor de Relações Internacionais da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Publicado
2020-07-08