A releitura dos contos de fadas em Fábulas, de Bill Willingham

  • Maria Aparecida Mineiro Universidade Federal do Pará
  • Guido Oliveira de Carvalho Universidade Estadual de Goiás

Resumo

Resumo: Uma das características do século atual é que os contos de fadas ainda se mantêm revigorados entre diversas formas de mídia. Eles estão presentes em literaturas, livros e até mesmo em filmes, jogos e história em quadrinhos. Os contos de fadas foram interpretados em forma de releituras, isto é, um modo inovador de adaptá-los ligando o tradicional e o moderno. Afinal, os tempos mudaram e isso requer novos olhares sobre uma antiga perspectiva. Nesse sentido, o objetivo do presente trabalho consiste em demonstrar por meio de análises como o autor Bill Willingham faz as releituras dos contos de fadas, por meio de história em quadrinhos, para o século XXI. Para tal, utilizamos referências teóricos que abordam desde as origens dos contos de fadas e em suas adaptações, até às releituras, tais como Coelho (1987), Lacerda (2012), Eisner (1989), McCloud (1995), Feijó (1997). Vale ressaltar que o contexto em que a obra, Fábulas (2008), está situada, os modos de vida do século XXI, os costumes, a cultura, refletiram na série que aborda temas atuais. Portanto, a mesma é inovadora à medida que o autor capta o essencial dos contos de fadas e atualiza para o mundo moderno, buscando não só a perfeição de suas personagens, mas também a necessidade de dialogar com as características humanas.

 

Palavras-chave: Contos de fadas. Releituras. Fábulas. Bill Willingham.

Biografia do Autor

Maria Aparecida Mineiro, Universidade Federal do Pará

Graduada em Letras Português/Inglês pela UEG. Especialista em Língua Inglesa e Novas Tecnologias pela FAI. Mestra em Educação, Linguagem e Tecnologias da Universidade Estadual de Goiás. Doutoranda em Letras pela Universidade Federal do Pará.

Publicado
2020-07-09