MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DO ESTADO DE GOIÁS, ANO BASE 2015: uma abordagem utilizando dados gratuitos e softwares livres

  • Silvio Braz de Sousa Universidade Federal de Goiás
Palavras-chave: Classificação Supervisionada. Cobertura e uso da terra. Estado de Goiás. Vegetação

Resumo

As técnicas de classificação digital de imagens se constituem tema recorrente na literatura acerca da utilização de dados de sensoriamento remoto para a leitura e monitoramento da paisagem. A partir da década de 1970 as imagens da série estadunidense Landsat se tornaram a principal fonte de dados sobre a cobertura e uso das terras, possuindo atualmente 44 anos de dados, as quais são utilizadas por pesquisadores em todo o planeta para modelagem ambiental. Este trabalho tem o objetivo de apresentar resultados da aplicação de técnicas de classificação digital para grandes áreas, efetuada com poucos recursos computacionais e humanos. Especificamente, foi confeccionado um mapa de cobertura e uso da terra para o estado de Goiás, com ano base 2015. Para isto foram utilizadas cenas OLI Landsat da estação seca (preferencialmente agosto), classificação supervisionada (SAM) e dados SRTM (para filtragem das sombras erroneamente classificadas como água). Toda a metodologia utilizou dados gratuitos e Sistemas de Informações Geográficas (SIG) livre, fato que reduz o custo para efetuar mapeamentos de uso e cobertura da terra. Os resultados apontam que o mapeamento desenvolvido está em sintonia com os mapeamentos oficiais (Probio, 2002 e TerraClass Cerrado 2013), bem como confirma o avançado estado de degradação da vegetação nativa, a qual, segundo o modelo, ocupa aproximadamente apenas 30% do território de Goiás.

 

Publicado
2017-03-07