ANÁLISE DA TOXICIDADE DE INFUSÕES DE CHÁS DE EMAGRECIMENTO ATRAVÉS DO TESTE Allium cepa

  • Luelma Savana Soares Rocha CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI
  • Lucas Inácio Araújo Cabral Centro Universitário UNINOVAFAPI.
  • Pétala Bezerra de Sousa Pio Centro Universitário UNINOVAFAPI.
  • Renan Marques Chaves Oliveira Centro Universitário UNINOVAFAPI.
  • Luis Costa Coutinho Centro Universitário UNINOVAFAPI
  • Daniela Moura Parente Férrer de Almeida. Centro Universitário UNINOVAFAPI.
Palavras-chave: Chás Medicinais. Perda de peso. Testes de Toxicidade.

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo avaliar a toxicidade da infusão dos chás de emagrecimento mais comuns através da aplicação do teste Allium cepa, utilizando chá de hibisco (CH), chá mate (CM) e chá verde (CV). O teste foi realizado em três concentrações distintas de cada chá: CH1(5g/L), CH2(10g/L), CH3(20g/L), CM1(4g/L), CM2(8g/L), CM3(16g/L), CV1(4,25g/L), CV2(8,5g/L), CV3(17g/L); onde as raízes das cebolas foram imersas e avaliadas, posteriormente, o crescimento das raízes. Os efeitos das infusões dos chás nas concentrações estudadas indicam que as doses apresentam redução significativa do crescimento das raízes, com exceção do chá mate, no qual não apresentou significância. Este estudo demonstra que o efeito tóxico é dependente da concentração, portanto recomenda-se que os chás sejam consumidos com moderação.

Biografia do Autor

Luelma Savana Soares Rocha, CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI
Graduanda em Medicina - Centro Universitário UNINOVAFAPI. Bacharel em Enfermagem na Universide Estadual do Piauí - Campus Josefina Demes, e Licenciada em Ciências Biológicas pelo Instituto Federal do Piauí - Campus Floriano. 
Lucas Inácio Araújo Cabral, Centro Universitário UNINOVAFAPI.
Acadêmico do 3º período de Medicina do Centro Universitário UNINOVAFAPI.
Pétala Bezerra de Sousa Pio, Centro Universitário UNINOVAFAPI.
Acadêmica do 3º período de Medicina do Centro Universitário UNINOVAFAPI.
Renan Marques Chaves Oliveira, Centro Universitário UNINOVAFAPI.
Acadêmico do 3º período de Medicina do Centro Universitário UNINOVAFAPI.
Luis Costa Coutinho, Centro Universitário UNINOVAFAPI
Acadêmico de Biomedicina do Centro Universitário UNINOVAFAPI.
Daniela Moura Parente Férrer de Almeida., Centro Universitário UNINOVAFAPI.

Doutora em Biotecnologia – área Imunologia e Biologia Molecular. Docente da disciplina de Genética Médica do Centro Universitário UNINOVAFAPI.

Referências

ALBAS, C. S. et al. Evaluation of the genotoxicity of Ilex paraguariensis (yerba mate) by micronucleus test. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 16, n. 2, p. 345-349, 2014.

ANJOS, J. C. et al. ESTUDO IN VITRO DA ATIVIDADE ANTIOXIDANTE DE Hibiscus Sabdariffa L. Revista Saúde UniToledo, v. 1, n. 1, 2017.

BELTRAN, C. B. et al. Os benefícios do chá verde no metabolismo da gordura corporal. Revista Científica da FHO, v. 2, p. 41-49, 2014.

BESSEMS, J. G. M. et al. 3, 5-Disubstituted analogues of paracetamol. Synthesis, analgesic activity and cytotoxicity. Chemico-biological interactions, v. 98, n. 3, p. 237-250, 1995.

CARVALHO, I.M.C.M.; MELO-CAVALCANTE, A.M.; DANTAS, A.F.; PEREIRA, D.L.A; ROCHA, F.C.C.; OLIVEIRA, F.M. DA SILVA, J. Environmental mutagenicity and toxicity caused by sodium metabisulfite in sea shrimp harvesting in Piauí, Brazil. Chemosphere, v. 82, p. 1056-1061, 2011.

CASTALDELLI, A.P. A. et al. Efeito da erva mate (Ilexparaguariensis A. St. -Hil.) no comportamento e fisiologia de ratos Wistar. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 9, n. 4, out./dez, p. 514-519. 2011.

FIRMINO, L. de A. Avaliação da qualidade de diferentes marcas de chá verde (Camellia sinensis) comercializadas em Salvador-Bahia. Dissertação (Mestrado em Ciência de Alimentos da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal da Bahia) – Universidade Federal da Bahia. Salvador – BA, 2013.

LEME, D.M.; MARIN-MORALES, M.A. Chromosome aberration and micronucleus frequencies in Allium cepa cells exposed to petroleum polluted water—A case study. Mut. Res., 650, p.80-86, 2008

NISHIYAMA, M.; COSTA, M.A.F.; COSTA, A.M.; SOUZA, C.G.M.; BOER, C.G.; BRACHT, C.K.; PERALTA, R.M. Chá verde brasileiro (Camellia sinensis var assamica): efeitos do tempo de infusão, acondicionamento da erva e forma de preparo sobre a eficiência de extração dos biotivos e sobre a estabilidade da bebida. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 30, p. 191-196, 2010.

OLIVEIRA, I. et al. Efeito do extrato aquoso de ilex paraguariensis (erva mate): estudo em ratos wistar. Revista Interdisciplinar, v. 7, n. 3, p. 77-82, 2014.

PERON, A. P. et al. Avaliação do potencial citotóxico dos chás de Camellia sinensis L. e Cassia angustifolia vahl em sistema teste vegetal. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, v. 12, n. 1, 2008.

RUBIRA, T. H. S.; DOS SANTOS, J. F.; VIANA, A. C. O uso do hibiscus sabdariffa como alimento funcional. Rev. Conexão Eletrônica, v. 13, n. 1, 2016.

SANTOS, U. et al. AVALIAÇÃO DE POTENCIAL DE ERVAS MEDICINAIS: CAPIM-LIMÃO (Cymbopogon citratus DC), CHÁ VERDE (Camellia sinensis L.) E HIBISCO (Hibiscus sabdariffa L.) PARA OBTENÇÃO DE CHÁS SOLÚVEIS. GEINTEC-Gestão, Inovação e Tecnologias, v. 4, n. 4, p. 1399-1408, 2014.

SILVA A. L. R., et al. Aceitação do chá verde e do chá termogênico como instrumento complementar por pessoas com desejo de emagrecer. SANARE-Revista de Políticas Públicas, v. 14, 2015.

SILVA, A. B.; WIEST, J. M.; CARVALHO, H. H. C. Chemicals and antioxidant activity analisys in Hibiscus rosa-sinensis L.(mimo-de-venus) and Hibiscus syriacus L.(hibiscus-the-syrian). Brazilian Journal of Food Technology, v. 19, 2016.

UYEDA, M. Hibisco e o processo de emagrecimento: uma revisão da literatura. Saúde em Foco, Edição nº: 07/Ano: 2015.

VIANA, M. F.; MONTAGNER, G. F. F. D. S.; WILDNER, Guilherme. AVALIAÇÃO DO POTENCIAL GENOTÓXICO DO EXTRATO DE ILEX PARAGUARIENSIS ST. HILL. Salão do Conhecimento, v. 2, n. 2, 2016.

Publicado
2017-10-12
Seção
Ciências dos Alimentos e Nutrição